29/05/2008

Festa estranha com gente esquisita

Vejam abaixo algumas fotos de nossos novos amigos. Festa estranha com gente esquisita, eu não estou legal...
Abaixo das fotinhos vou inserir uma idenficação sobre esses humanos.







Da direita para a esquerda: Marion, uma holandesa muito bacana (sogra da Vivi); Vivi, a brasileira bióloga e Ewerton (um mineirinho que faz crochê nas horas vagas.









Vivi, "a bióloga" e sua planta predileta


















A melhor amiga do Má











Da direita para a esquerda:
Bruno, o pizzaiolo magrão
Erica, amore mio
Vivi, bióloga de plantas artificiais
Eu, eu mesmo um príncipe
Celine, a canadense
Ewerton, o mineirinho do croche
Rodrigo, o jogador de futebol









Professoressa Rafaela: uma italiana muito simpática e agradável que nos convidou para estudar na casa dela nos dias de folga da escola












Não se deve andar com esses elementos porque eles atraem a polícia


25/05/2008

Um pouco sobre a Itália

Alguns desses dias foram um pouco difíceis porque definitivamente a saudade apertou. Na última semana o tempo esteve fechado e não fizemos muitas coisas, ficamos mais em casa e visitamos amigos.

Aqui sempre fazemos jantares, pizzadas ou lanches na casa da Vivi. Ficamos conversando até de madrugada e vamos para casa a pé, observando aquelas ruínas e casinhas todas floridas – que mais parecem feitas de brinquedo da lego –, sem preocupação de sermos roubados. Isso para gente é sensacional, uma vez que em São Paulo sempre vivemos preocupados com assaltos.

Neste meio tempo já fizemos muitos amigos brasileiros e de outros países, o que é muito importante aqui, uma vez que os Trentinos são pessoas muito fechadas. Pelo menos a princípio não é fácil fazer amizade com eles. Alguns acreditam que isso ocorra por questões históricas, que vamos resumir aqui para vocês entenderem um pouco sobre a região e sua cultura.

Até 1918 Trento não pertencia a Itália, mas sim ao império Austro-Hungaro. Somente depois da I Guerra Mundial, após muitas lutas é que Trento virou Itália. O problema é que a população trentina presenciou diversas disputas por território e muitas famílias foram obrigadas a imigrar. Dois adendos: o primeiro é que, por esta razão a cidadania para os descendentes trentinos pode demorar até cinco anos para sair, sendo que os descendentes de italianos de outras regiões retiram o documento em um prazo de três a quatro meses. Nós conhecemos muitas pessoas que dizem que agora Trento resolveu dificultar para tirar o documento visando diminuir o numero de estrangeiros no país, especificamente uma senhora chamada Carmem. Acho que atualmente ela é mais conhecida na Itália do que o Berlusconi. Graças a Deus nossos documentos estão saindo no prazo, não temos do que reclamar. Segundo adendo: na época em que os italianos fugiram daqui, os países que mais os receberam foram Brasil, Argentina e EUA. Só para se ter idéia, hoje o número de descendentes trentinos no Brasil ultrapassa 200 mil, concentrados principalmente nas regiões sul e sudeste.

Bem, hoje Trento é a cidade mais rica da Itália e é autônoma, não se vêem pobres como estamos acostumados no Brasil, muitas vezes nem consigo identificar um mendigo aqui. Mesmo assim não é difícil encontrar italianos reclamando da crise pela qual o país está passando.

A Itália tem pessoas do mundo inteiro e quando se vêem pobres não são os italianos, mas sim marroquinos, poloneses e romenos. Aliás, os marroquinos praticamente invadiram o país.

Bom, vou parando por aqui para vocês conseguirem ler até o fim.

Os monumentos acima são representantes da independência Trentina

Beijos, Até mais... Erica e Má

18/05/2008

Verona

Na semana passada fomos à Verona, cidade de Romeu e Julieta. Foi muito legal. Vejam abaixo e ao lado algumas fotos.
bjs



15/05/2008

Tem coisas que não tem comentários

Oi pessoal,

Sem comentáriosssss!!! Vejam o vídeo abaixo. Três horas depois nós passamos e esse senhor continuava da mesma forma...
bjs


12/05/2008

Dia das mães

Esse ano (2008), passamos pela primeira vez de nossas vidas o dia mães sem as nossas mães. Se normalmente sentimos saudades, hoje então o coração apertou. Ficamos imaginando como estaria sendo o almoço com nossas famílias e agradecemos mais do que tudo por termos pessoas tão especiais junto conosco. Eu e o Má ainda não fazemos a menor idéia do que é ser mãe e pai, mas temos a certeza de que nunca queremos deixar de ser filhos para termos o colo e carinho de vocês.

Estamos sentindo muita falta de vocês, muita mesmo, mas ao mesmo tempo estamos muito felizes por realizarmos um sonho, que diariamente nos dá uma experiência muito melhor do que imaginávamos ter.

Aqui temos contato com absolutamente tudo, estamos vivenciando coisas que jamais teríamos a oportunidade no Brasil. Eu, particularmente, tenho treinado meu olhar jornalístico e captado pautas e mais pautas todos os dias. Nesses últimos tempos conhecemos pessoas bem especiais, carismáticas e com histórias únicas, que um dia iremos contar, mas nenhuma delas diminui nossa saudade de vocês.

Esperamos nos encontrar o quanto antes para matarmos essa saudade imensa, com aquele abraço caloroso e demorado.

Grande beijo a todos, em especial ao nossos pais, sogras, sogros...

Erica e Má

11/05/2008

Eu acho que eu vi um barbone.... eu vi um cocozinho

Ciao persone,
A Itália tem umas coisas engraçadas e absurdassss! Ontem eu, o Má, o Ewerton e a Vivi estávamos na praça Duomo, que é bem movimentada aqui. Adivinhem o que nós vimos? Aff...uma grande bunda branca para cima! É isso mesmo, vou tentar acrescentar um vídeo que explique melhor, mas isso é bem real.
Do nada, de repente, uma pessoa, imagino que seja um barbone doido, abaixou as calças, curvou o corpo e começou a evacuar tranquilamente. Alguns minutos depois (bem depois) ele começou a se limpar com uns papéis. Jogou no chão, na maior naturalidade e lentamente subiu as calças. Todos fingiram que não viram, mas é claro que nós filmamos. Aqui está a tragédia italiana! Que absurrrrdo!

08/05/2008

A primeira prenotazione do Smart


Ontem, dia 7 de maio, nós e uns amigos novos (Viviane, Ewerton e Roberto) reservamos dois carros Smart para passear pela cidade. Tudo estava indo perfeitamente bem até que entramos numa autostrada, cuja velocidade inicial era 90 km por hora.... normal, né? Normal para quem tem um carro normal. O Smart que pegamos anda no máximo a 40km por hora. Olhamos para o motorista, Everton, que fingia estar tudo sobre o controle, mas sabíamos que era só por Deus. Quando olhei para atras para ver o carro em que o Má estava....vi um caminhão imenso empurrando a gente. Daí caiu a ficha e a gente começou a rir como besta. Andamos uns cinco minutos, até que encontramos um retorno e pegamos a estrada do outro lado. A fila de carros que nós provocamos não estava escrita. Só carrãoooo..... e a gente a 40KM. Non è facile!

Se a polizia pára a gente, ferrou tutti.

Como a gente gosta de adrenalina, assim que saímos da autostrada...respiramos tranquilo e caímos, sem querer (segundo o Ewerton) em outra autostrada. Fala sério....
Por fim nosso amigo Ewerton soltou a frase épica... quem não arrisca não vê Deus!

Olha as tranqueiras que a gente atrai..... é a lei da atração... tranqueira atrai tranqueira...rs.

Vejam o vídeo e as fotos!

Arrivederci!

Vida Difícil

Cá estamos nós novamente...nesta vida difícil... beber, comer, cair e levantar. Demos entrada no processo e agora estamos aguardando retorno. Descobrimos várias pessoas que chegaram com a gente e que também esperam a documentação. Logo na primeira semana, fizemos uma turma bem legal de brasileiros. Aos poucos estamos conhecendo pessoas de outros países. Mas fora os brasileiros também tem gente muito legal aqui...rs. Sempre encontramos um afegão que é muito bacana. Ele está esilado na Itália. O cara é tão gente boa que quer ajudar todo mundo sem falar sequer uma palavra em português ou italiano e ainda faz a gente rir bastante. Já começamos a entender melhor o italiano e a conseguir nos comunicar.... MALE... mas se comunicar. É tudo uma questão de tempo. A impressão que temos é que o italiano é um português errado. Aqui se parla, per exempio, noi fumo....
Descobrimos várias coisas na Itália, muitas boas e outras nem tanto. Aqui os italianos sempre falam em crise...mas o salário mínimo é 1200 euros para a pessoa sem especialização nenhuma. Se gasta por mês, morando numa casa grande uns 600 euros e se trabalha pouco, pouco mesmo. Na segunda-feira, para vocês terem idéia, tudo só abre após as 14h30. Domingo.... esquece supermercado, pelo menos em Trento, que nem é tão pequena assim. No norte da Itália a sociedade preza por qualidade de vida... comer muitooooo bem, ter um carro muitooo bom, se vestir bem, casar e ter filhos. Aqui os barbones (mendigos) recebem cesta básica, tomam café, almoçam e jantam na igreja de grátis, ganham 200 euros por mês do governo e vestem Nike. Eu, sinceramente só vi um desses aqui, mas não reconheci como mendigo.
A Itália também te dá alguns benefícios que valem a pena: pelos estacionamentos da cidade ficam distribuídas diversas bicicletas, que podem ser prenotadas (reservadas gratuitamente) para o uso das 8 às 20 horas. Muita gente anda de bike e a cidade inteira tem ciclovia. Se um pedestre andar pela ciclovia, toma multa e aqui tem multa para tudo. Outra coisa bacana é que a gente pode alugar uns carrinhos Smart e usar por duas horas pela cidade, também gratuito. Não se paga gasolina, nem estacionamento. Tenho uma história legal para contar sobre isso, mas vou abrir uma postagem a parte. Que mais podemos dizer???
Fizemos amizade com a professora do curso e agora vamos até a casa dela para papear... e treinar / aprender o italiano. Imagine só, a professora me chamou na sala e perguntou se eu e o Marcelo queríamos ir até a casa dela alguns dias para parlar italiano. Claro que dissemos sim e foi uma experiência única. Acordamos cedo (difícil para o meu marido, quem conhece sabe), fomos até a casa dela e parlamos, parlamos sopra tutto. Amanhã iremos novamente. Ufaaa.... além dessas conversas, temos aulas quatro vezes por semana.

04/05/2008

Retorno ao Monte Bondone



Ontem fomos novamente ao Monte Bondone, desta vez com a bateria da máquina digital... rs. Vejam as fotos ao lado. Que lugar lindo! Na verdade, a já neve já estava derretendo, isso porque o verão está chegando. Para nós brasileiros, é difícil compreender como pode um lugar estar tão frio e ao mesmo tempo tão quente. O sol aqui torra, torra mesmo!

Também, precisa valer a pena, porque a estrada daqui é um terror, muito estreita, tanto que no autobus tem saquinho para vômito. Na volta para casa o ônibus parou três vezes para recuperar o freio, devido a inclinação da serra. Qualquer errinho balbal Erica e Marcelo... rs. E em alta temporada o povo sobe todo dia essa serra, cheia de neve, para trabalhar. Eles usam correntes nos pneus para que o autobus suba.

Para o Sandro e meu pai, o Marcelo gravou uma mensagem, que tentaremos inserir no Blog. Sem falsa modéstia.... a mensagem é boa! Vuoi una birra? Capito?

Até a próxima...

beijos, Erica e Má





02/05/2008

Primeiro passeio pela Itália

Nossa primeira parada por Trento foi Monte Bondone, onde fica a estação de esqui, famosa por trazer turistas de vários países no inverno. Embora não seja mais inverno, ainda não acabou a neve. Pegamos um ônibus que subiu uma estrada pior do que a do “Deus me livre” (aquela que vai para Trindade, em Paraty). Quando chegamos lá.... que paisagem... pura neve! Lindooooo!!! Eis que percebemos que esquecem os a bateria da máquina. Teremos que voltar para mostrar as fotos.

Até lá!