08/05/2008

Vida Difícil

Cá estamos nós novamente...nesta vida difícil... beber, comer, cair e levantar. Demos entrada no processo e agora estamos aguardando retorno. Descobrimos várias pessoas que chegaram com a gente e que também esperam a documentação. Logo na primeira semana, fizemos uma turma bem legal de brasileiros. Aos poucos estamos conhecendo pessoas de outros países. Mas fora os brasileiros também tem gente muito legal aqui...rs. Sempre encontramos um afegão que é muito bacana. Ele está esilado na Itália. O cara é tão gente boa que quer ajudar todo mundo sem falar sequer uma palavra em português ou italiano e ainda faz a gente rir bastante. Já começamos a entender melhor o italiano e a conseguir nos comunicar.... MALE... mas se comunicar. É tudo uma questão de tempo. A impressão que temos é que o italiano é um português errado. Aqui se parla, per exempio, noi fumo....
Descobrimos várias coisas na Itália, muitas boas e outras nem tanto. Aqui os italianos sempre falam em crise...mas o salário mínimo é 1200 euros para a pessoa sem especialização nenhuma. Se gasta por mês, morando numa casa grande uns 600 euros e se trabalha pouco, pouco mesmo. Na segunda-feira, para vocês terem idéia, tudo só abre após as 14h30. Domingo.... esquece supermercado, pelo menos em Trento, que nem é tão pequena assim. No norte da Itália a sociedade preza por qualidade de vida... comer muitooooo bem, ter um carro muitooo bom, se vestir bem, casar e ter filhos. Aqui os barbones (mendigos) recebem cesta básica, tomam café, almoçam e jantam na igreja de grátis, ganham 200 euros por mês do governo e vestem Nike. Eu, sinceramente só vi um desses aqui, mas não reconheci como mendigo.
A Itália também te dá alguns benefícios que valem a pena: pelos estacionamentos da cidade ficam distribuídas diversas bicicletas, que podem ser prenotadas (reservadas gratuitamente) para o uso das 8 às 20 horas. Muita gente anda de bike e a cidade inteira tem ciclovia. Se um pedestre andar pela ciclovia, toma multa e aqui tem multa para tudo. Outra coisa bacana é que a gente pode alugar uns carrinhos Smart e usar por duas horas pela cidade, também gratuito. Não se paga gasolina, nem estacionamento. Tenho uma história legal para contar sobre isso, mas vou abrir uma postagem a parte. Que mais podemos dizer???
Fizemos amizade com a professora do curso e agora vamos até a casa dela para papear... e treinar / aprender o italiano. Imagine só, a professora me chamou na sala e perguntou se eu e o Marcelo queríamos ir até a casa dela alguns dias para parlar italiano. Claro que dissemos sim e foi uma experiência única. Acordamos cedo (difícil para o meu marido, quem conhece sabe), fomos até a casa dela e parlamos, parlamos sopra tutto. Amanhã iremos novamente. Ufaaa.... além dessas conversas, temos aulas quatro vezes por semana.

Nenhum comentário: