26/02/2010

Subindoooo

Apòs, um longo e frio inverno, ontem finalmente chegamos a 13 graus em Milao e um lindo dia la fora! Tem coisas que sò brasileiro consegue compreender!

25/02/2010

Italia por outra perspetiva

Caros, essa serà a primeira vez que voces lerao um texto que nao serà escrito nem pelo Marcelo e nem por mim. Dessa vez, daremos a voces a possibilidade de conhecer um pouco a Itàlia pela visao de quem nao mora aqui e que nao tem nossos costumes e vicios. Com voces: a sogrinha Elizete:

Minha estada na Itália

Por Elizete Teixeira Ribeiro

Cheguei na Itália em 19/fev/2010. Ao desembarcar estava extremamente ansiosa, pois há quase dois anos não via meu filho e minha nora. Que sensação maravilhosa, que felicidade e alívio senti.
Nosso primeiro passeio foi ao Centro de Milano, é um lugar muito bonito, é uma beleza diferente, as construções são mais antigas, as pessoas muito agasalhadas, acho que até privadas de movimento corporal, por conta de tanta roupa. A impressão que se tem é que eles são mais sérios também, não são de muita conversa.

A igreja central tem uma arquitetura linda, de suas paredes saem estátuas de anjos, vitrais etc.
Ainda no centro de Milão, fomos a um Castelo antigo, onde se pode ter uma visão de como era antigamente, inclusive as construções. Vimos muitos gatinhos também, sei lá de onde saíram! E como tem pombos!


TRENTO: É uma cidade cercada por montanhas, conheci os lugares em que o Marcelo e a Erica moraram ao irem para a Itália. Eles mostraram onde moraram, onde faziam compras, onde trabalharam e como montaram uma bicicleta e todos os bons e maus momentos que passaram lá. Conheci alguns amigos deles, primeiro fomos ao apartamento do Marcelo e da Claire, ele é maestro estava todo empolgado com umas apresentações que ia fazer. Fomos muito bem recebidos pelo casal. Eles moram em um apartamento espaçoso e bonito. Do apartamento se tem uma linda visão de Trento, suas montanhas e arquitetura. Uma curiosidade, segundo os italianos, os moradores de Trento são trentinos e não italianos, acho que deve ter algum problema entre eles, sei lá. Mas que tem muita gente que não gosta de trentinos, isso tem. Conheci também o David, Davidi ou Deivid (dependendo do país em que ele está o nome) e a Rosangela. Ele é uma figura, adora falar ingreis, adora a Ingraterra e tomar umas. Vou sentir saudades desse pessoal. São todos brasileiros.

Ainda em Trento fomos ao Monte Bondoni. Este lugar é espetacular, puro gelo e neve. Foi o lugar que mais impressionou pela beleza natural, sem a mão do homem. As pessoas vão pra esta montanha para esquiarem e realmente é linda a desenvoltura deles. Mas é muito frio mesmo, ainda mais pra mim que fui bombardeada por gelo e neve pelo Marcelo e Erica e sem poder me defender pois, não sei correr na neve, estava congelando e foi um dia que fiquei realmente brava.


TRAMIN – ALTO ADIGE. Depois, fomos à uma cidade chamada Tramin, na casa do Breno e da Vanessa. Ao entrarmos na cidade logo se vê que a arquitetura é bem diferente dos outros lugares italianos, parecem casas de bonecas e as ruas são muito estreitas e bem cuidadas. Ao entrarmos no prédio não se espera o que esta por vir. Subimos por umas escadas largas e antigas, mas ao entrarmos no apartamento tudo era novo e muito bem decorado. Essas construções também são tombadas. Fiquei sabendo também que a língua oficial local é o alemão e toda a arquitetura é em estilo germanico.


SUIÇA – É um lugar muito bonito, porém melancólico, em meu ponto de vista. Fomos a um parque na cidade Lugano belo. Geralmente, a nossa visão de parque é um lugar com muitas crianças, musica, bola e barulho. Para os suíços é basicamente um lugar de meditação e silêncio. Fala sério, só eu, a Erica e o Marcelo falávamos e ríamos!




Ainda na Suíça fomos ao Monte Bré, a estrada é estreita e muito perigosa, dá medo, tem lugares que só passa um carro. È uma montanha muito alta e chegamos até o topo, a vista é maravilhosa, mas eu fiquei mais dentro do carro, estava realmente muito frio. Ao voltarmos eu dirigi o carro do Marcelo e só depois de passar pela imigração eu avisei que já fazia sete anos que não dirigia, e que estava suando frio. A Erica simplesmente arregalou o olhos, rsrsrs.

PARQUE IDROSCALO: Andamos por este parque uns cinco Km, vi o rio congelado e uma grande área de árvores sem folhas, tudo marrom, mas muito bonito. Neste parque ficamos presos, pois fecharam os portões (sacanagem) e tivemos que pular uns tres metros de altura. Ainda bem que não quebramos a perna. Para tirar o carro lá de dentro também o Marcelo teve que dar um jeitinho brasileiro.



VENEZA: Fomos para Veneza no sábado de carnaval, a primeira impressão que se tem é que estamos entrando num cortiço brasileiro, as ruas são estreitas e as construções muito antigas. Passamos por muitas vicolos e por muita gente até chegarmos no centro. A beleza do centro é deslumbrante, pra todos os lados que você se depara com a água do mar. É só vendo pra crer, os meios de transporte são os barcos e em frente às moradias ficam os barcos para as pessoas saírem, não tem carros, motos ou bicicletas, tudo é no pé ou no barco. Esse è o ônibus deles. O carnaval de Veneza não tem nada a ver com o nosso. Lá as pessoas se vestem como os nobres de antigamente, usam máscaras e não mostram o rosto. Segundo a cultura local, antigamente os nobres se fantasiavam desta forma para não serem reconhecidos pelos plebeus. As músicas são clássicas, As pessoas fantasiadas não dançam, apenas andam pausadamente e tiram fotos com os turistas. Nós até tentamos esquentar o ritmo com um samba nosso, mas não teve jeito, fazer o que?? Outro detalhe, tudo lá é muito caro e eles não tem banheiro público.

VERONA: Nesta cidade eu fiz o meu primeiro grande passeio sozinha, com a cara e acoragem. Fui orientada pelo Marcelo e Erica de como chegar na Estação Central e como fazer algumas perguntas em italiano, tipo assim: Per favore um peso de questo ou Dove é La estacione de trenó di Verona (lógico que não se escreve assim). Verona é uma cidade turística, onde se passou a história do Romeu e Julieta, sua arquitetura também é antiga, igrejas lindas e um Coliseu. Fiz uma trapalhada ao retornar, mas graças a Deus deu tudo certo, peguei um trem errado que deveria pagar mais do que o dobro pela viagem. O trem chegaria no mesmo lugar, mas era mais rápido e caro. Se o fiscal passasse ali eu tomaria uma bela multa, sem saber o porque.


Bom aqui eu escrevi algumas das minhas experiências na Itália. Adorei o país, é realmente muito lindo, a cultura é muito diferente da nossa. Um lugar de pessoas mais velhas, com poucas crianças e com cachorros que não latem (se latirem os donos são multados). Alguns italianos são hospitaleiros, outros querem que você se exploda e se recusam até a dar informações. É um lugar que não tem a desigualdade social que temos no Brasil. Na Itália por mais simples que sejam as profissões das pessoas, elas tem condições de viverem bem, ter uma boa alimentação, moradia e educação etc.

Contudo, eu acho que nós brasileiros, com todos os nossos problemas somos mais felizes, mais abertos e hospitaleiros. Sinto realmente orgulho do nosso país!
Finalizando, adorei o passeio, adorei ficar com meus filhos, fui muito bem recebida e só espero eles nos visitarem. Se tiver oportunidade com certeza volto, pois valeu a pena.


alguem apanhou muito: quem serà?

22/02/2010

Bristol - Inglaterra

No dia 13/1 passamos um final de semana na Inglaterra. Foi delicioso ainda que gelado!
Uma maneira de começarmos sentir o que nos espera...

Fomos para Bristol. Vejam detalhes sobre a cidade:


Escrito por Érica Moreira Ritacco on Qua, 10 de Fevereiro de 2010 12:37 
(Publicado no Destaque SP - http://www.destaquesp.com/index.php/Turismo/Lugares/bristol.html

Localizada no sudoeste da Inglaterra, no Reino Unido, a charmosa Bristol reúne cidadãos do mundo inteiro que prestigiam a arte, a arquitetura, a música e a ciência. Nascida no ano de 1155, Bristol iniciou sua trajetória sendo conhecida por sua importância portuária e sua representatividade industrial e manufatureira. Após ser devastada por bombardeios durante a 2ª guerra mundial, reergueu-se, mantendo seu patrimônio marítimo e se transformando em uma cidade de grande relevância cultural, que mescla o antigo com o novo e conserva seus estilos arquitetônicos de quase novecentos anos de história.

Com 550 mil habitantes, Bristol é hoje um condado e uma cidade de autoridade unitária, ou seja, tem uma espécie de governo municipal que engloba a administração da maioria dos serviços básicos para a população, como a manutenção das vias, o serviço de saneamento, os impostos locais, etc. Se séculos atrás a cidade atraía principalmente mercadores e viajantes, nos dias atuais é possível passear por suas ruas e encontrá-las repletas de turistas e estudantes que apreciam os elegantes castelos e os refinados bares e restaurantes que o local oferece.

Bristol Cathedral, século XVIII

Para aqueles que desejam sentir o clima europeu, seja no inverno ou no verão, Bristol é, sem dúvida, o posto certo. Se a opção for visitá-la na estação mais fria do ano, provavelmente a cidade estará toda pintada de branco (de neve), detalhe que a deixará ainda mais requintada.


Principais Pontos Turísticos

Um dos grandes nomes de Bristol é o engenheiro inglês Isambard Kingdom Brunel (1806-1859), com suas obras que são verdadeiros símbolos locais, como a ponte suspensa de Clifton, a Brigde Suspension, que abraça a garganta do rio Avon e corta toda a cidade.

Outra obra de Brunel é o SS Great Britain. Lançado em 1843, foi o primeiro navio transatlântico a ter um casco e um hélice propulsora de ferro. Considerado o maior navio existente na época, somente dois anos depois fez sua viagem inaugural para Nova Iorque. Já foi utilizado como barco de emigração da Inglaterra para a Austrália, para longas viagens intercontinentais, como transporte de tropas na guerra e como transporte de carvão, até sofrer um incêndio, quando chegou a ficar quase completamente destruído. Anos mais tarde foi restaurado e encaminhado ao museu do porto de Bristol, onde permanece disponível para a visitação.
Brigde Suspension
Já quando o tema é arte, os museus que não podem deixar de serem vistos são o Bristol’s City Museum & Arte Gallery, que reúne coleções da arte e arqueologia, geologia e história natural, com foco não mundo egípcio e o The Royal West of England Academy, que engloba mais de 1200 obras desde o século XIX até hoje.

Conhecer o castelo inabitado mais antigo da Inglaterra, o Berkeley Castel, è também uma experiência para não abdicar. Localizado entre as cidades de Bristol e Gloucestershire, é famoso por seu estilo arquitetônico medieval e por representar as 24 gerações da família Berkeleys, além de preservar inúmeros tesouros como a colcha da rainha Elizabeth.

Em termos de natureza a cidade também não deixa a desejar, pois possui diversos parques e um jardim zoológico, o Bristol Zôo, que conserva mais de 450 espécies exóticas de mamíferos, anfíbios e insetos de todo o mundo.

Atenção, ao caminhar pelo glamuroso centro comercial, em meio ao modernismo das lojas inglesas, você praticamente tropeçará no Castel Park e na igreja St. Peter, que mesmo após serem bombardeados em meados de 1940 ainda mantém suas características medievais e são vistos atualmente não somente como objeto de estudo, mas como ambiente ideal para quem quer relaxar.

Por fim, vale a pena conhecer a mais importante igreja da cidade, a Bristol Cathedral, local que frequentemente apresenta exposições de concertos, artes cênicas e outras atividades artísticas.

Curiosidade:

Com uma população de 550 mil habitantes, a grande maioria é de brancos (91,8%), seguidos de sul-asiáticos (2,9%), afro-caribenhos (2,3%), mestiços (2,1%) e outras tantas cidadanias (1,9%).


Dicas:

1. Ao programar as férias para a Europa, trace um roteiro com antecedência e pesquise as companhias aéreas que trabalham com vôos econômicos para os países de interesse. Compre os bilhetes de viagem com antecedência.

2. As empresas aéreas que geralmente fazem voos low cost para Bristol são: a Ryanair: (www.ryanair.com), a EasyJet (www.easyjet.com) e a Lufthansa (www.lufthansa.com).

3. Bristol é suprida por um aeroporto internacional e uma estação ferroviária, o que facilita sua locomoção para o restante da Inglaterra. Para se transportar internamente existem linhas de ônibus que abastecem toda a cidade e que custam 1,25 £. Existe a opção de comprar um bilhete de ônibus que pode ser usado diversas vezes ao dia, durante 24 horas, e que custa 4 £.

4. Mais informações sobre turismo em Bristol: http://visitbristol.co.uk/

11/02/2010

Vivendo...

Quando estamos no Brasil passamos boa parte do tempo reclamando de nossa realidade, das dificuldades, dos problemas. Reclamamos porque temos botecos, porque chove, porque não chove, pelo trânsito, pela política, pelos impostos, por causa dos empregos. Definitivamente reclamamos de tudo! Dai, quando estamos longe, tudo aquilo que era motivo de lamentação vira razão para termos SAUDADE. Acho que o ser humano deveria parar de reclamar e tentar olhar por outras perspectivas. Incluo-me nisso. Viver fora te faz entender muitas coisas e te pressiona diariamente contra o muro. Volto ou não volto? A cada dia é mais difícil ficar. A cada dia é mais difícil voltar...

Eu amo meu Brasil e os meus elos fiéis estão lá, mas também amo as possibilidades que a Europa nos dá de viver, de comer coisas diferentes, de aprender cada dia algo novo.

Eu amo meu Brasil, mas amo não ter como opção somente ir para o litoral sul no final de semana, porque sou uma assalariada comum. Amo de todo o coração a riqueza que temos, a nossa simpatia, mas me sinto motivada em conhecer outras línguas e pessoas de mundos diferentes.

Eu amo meu Brasil, mas gosto de me sentir segura quando saio nas ruas e ver que existem muitos locais onde a hipocrisia humana ainda não impera.

Eu amo ver que existem inúmeras possibilidades de você ser você e não ter que ser algo que os outros admiram, porque talvez só assim alcançará o sucesso.

Eu amo poder falar e escrever o que todo mundo muitas vezes tem vontade de fazer, mas finge não concordar porque pode trazer problemas futuros.

E mais, eu amo meu Brasil, meus familiares e amigos da maneira mais pura, mas amo a liberdade de poder ir e vir, de ser e estar, de entender o mundo vivendo e não somente lendo ou assistindo filmes e documentários, de perceber que mudo como pessoa constantemente.

Acima de tudo eu amo ser cidadã do mundo e ter um marido que é essencialmente feito com as mesmas paixões e ideologias que eu, que tem grande fascínio por conhecimento, que admira um bom vinho, que sabe dar boas gargalhadas e que sabe se divertir muito com pouco.

Hoje eu olho as pessoas que moram aqui, que a vida inteira tiveram tudo aquilo que viemos buscar aos 28/31 anos, mas simplesmente não dão valor. Me dou conta de que eles encaram as coisas como nós encarávamos em São Paulo e percebo que nossa maneira de viver è considerada por muitos apenas uma grande aventura. E amo saber que è possível se aventurar e crescer enquanto os anos passam.

A única sensação que realmente me aflige é acreditar que talvez voltemos a morar no Brasil, mas que provavelmente ao termos uma vida normal, com os nossos familiares e amigos, com o mar e com o sol, possivelmente, ainda assim a duvida continuará fazendo parte de nossas vidas "volto ou não volto"?

Autoria: Erica Moreira Ritacco

03/02/2010

FELICIDADES PAI E MAE


Na próxima semana meus pais farão 25 anos de casados, VENTI CINQUE ANNI! E a festa já começa nesse final de semana, antes ainda do carnaval, assim terão tempo para prolongar as comemorações. Iniciam fazendo um belo churras entre família e amigos, o qual infelizmente não conseguiremos participar, apesar de toda a vontade. Na outra semana a comemoração prossegue, mas desta vez a dois. No dia 10 de fevereiro partem para um Cruzeiro nos Estados Unidos onde ficarão quase um mês relaxando, comendo, bebendo e dormindo, na maior tranqüilidade. Oh vidao! Mãe e pai aproveitem ao máximo todos os momentos, pois eles são únicos! Saibam que nos próximos 25 anos vocês não conseguirão escapar da gente não!

Amamos vocês!

Bom churrasco e boa viagem!

Mamma di Marcelo finalmente è arrivata!



Depois de um ano e sete meses tivemos o prazer de encontrar a principal representante da família do Ma, a pessoa que não somente o responsável pela família, mas que è o maior link entre todos. A verdade é ela nos surpreendeu com sua visita, pois apesar da imensa saudade que sentíamos e sem poder ir ao Brasil ela resolveu vir. Ficamos lògicamente muito ansiosos por sua chegada e até o momento em que o avião aterrissou não acreditávamos que era sério. Desde o dia 25 de janeiro de 2010 o Mà já nem dorme mais, assim pode ficar mamando bastante tempo. Para nossa alegria, até coxinha já comemos. Mamma mia....coxinha. Esses italianos não sabem o que estão perdendo. Tudo bem que esse povo aqui come bem, mas coxinha è coxinha. Agora estamos com a programação dos passeios. Fomos para a Suíça nesse final de semana e na próxima semana iremos ver o carnaval mais antigo do mundo, o Carnaval de Veneza.

Os micos, bem os micos por aqui já foram vários, mas deixa para là, que isso não è coisa para contar. Estamos muito felizes com sua vinda e vamos aproveitar bastante.

Seja bem vinda!