25/02/2010

Italia por outra perspetiva

Caros, essa serà a primeira vez que voces lerao um texto que nao serà escrito nem pelo Marcelo e nem por mim. Dessa vez, daremos a voces a possibilidade de conhecer um pouco a Itàlia pela visao de quem nao mora aqui e que nao tem nossos costumes e vicios. Com voces: a sogrinha Elizete:

Minha estada na Itália

Por Elizete Teixeira Ribeiro

Cheguei na Itália em 19/fev/2010. Ao desembarcar estava extremamente ansiosa, pois há quase dois anos não via meu filho e minha nora. Que sensação maravilhosa, que felicidade e alívio senti.
Nosso primeiro passeio foi ao Centro de Milano, é um lugar muito bonito, é uma beleza diferente, as construções são mais antigas, as pessoas muito agasalhadas, acho que até privadas de movimento corporal, por conta de tanta roupa. A impressão que se tem é que eles são mais sérios também, não são de muita conversa.

A igreja central tem uma arquitetura linda, de suas paredes saem estátuas de anjos, vitrais etc.
Ainda no centro de Milão, fomos a um Castelo antigo, onde se pode ter uma visão de como era antigamente, inclusive as construções. Vimos muitos gatinhos também, sei lá de onde saíram! E como tem pombos!


TRENTO: É uma cidade cercada por montanhas, conheci os lugares em que o Marcelo e a Erica moraram ao irem para a Itália. Eles mostraram onde moraram, onde faziam compras, onde trabalharam e como montaram uma bicicleta e todos os bons e maus momentos que passaram lá. Conheci alguns amigos deles, primeiro fomos ao apartamento do Marcelo e da Claire, ele é maestro estava todo empolgado com umas apresentações que ia fazer. Fomos muito bem recebidos pelo casal. Eles moram em um apartamento espaçoso e bonito. Do apartamento se tem uma linda visão de Trento, suas montanhas e arquitetura. Uma curiosidade, segundo os italianos, os moradores de Trento são trentinos e não italianos, acho que deve ter algum problema entre eles, sei lá. Mas que tem muita gente que não gosta de trentinos, isso tem. Conheci também o David, Davidi ou Deivid (dependendo do país em que ele está o nome) e a Rosangela. Ele é uma figura, adora falar ingreis, adora a Ingraterra e tomar umas. Vou sentir saudades desse pessoal. São todos brasileiros.

Ainda em Trento fomos ao Monte Bondoni. Este lugar é espetacular, puro gelo e neve. Foi o lugar que mais impressionou pela beleza natural, sem a mão do homem. As pessoas vão pra esta montanha para esquiarem e realmente é linda a desenvoltura deles. Mas é muito frio mesmo, ainda mais pra mim que fui bombardeada por gelo e neve pelo Marcelo e Erica e sem poder me defender pois, não sei correr na neve, estava congelando e foi um dia que fiquei realmente brava.


TRAMIN – ALTO ADIGE. Depois, fomos à uma cidade chamada Tramin, na casa do Breno e da Vanessa. Ao entrarmos na cidade logo se vê que a arquitetura é bem diferente dos outros lugares italianos, parecem casas de bonecas e as ruas são muito estreitas e bem cuidadas. Ao entrarmos no prédio não se espera o que esta por vir. Subimos por umas escadas largas e antigas, mas ao entrarmos no apartamento tudo era novo e muito bem decorado. Essas construções também são tombadas. Fiquei sabendo também que a língua oficial local é o alemão e toda a arquitetura é em estilo germanico.


SUIÇA – É um lugar muito bonito, porém melancólico, em meu ponto de vista. Fomos a um parque na cidade Lugano belo. Geralmente, a nossa visão de parque é um lugar com muitas crianças, musica, bola e barulho. Para os suíços é basicamente um lugar de meditação e silêncio. Fala sério, só eu, a Erica e o Marcelo falávamos e ríamos!




Ainda na Suíça fomos ao Monte Bré, a estrada é estreita e muito perigosa, dá medo, tem lugares que só passa um carro. È uma montanha muito alta e chegamos até o topo, a vista é maravilhosa, mas eu fiquei mais dentro do carro, estava realmente muito frio. Ao voltarmos eu dirigi o carro do Marcelo e só depois de passar pela imigração eu avisei que já fazia sete anos que não dirigia, e que estava suando frio. A Erica simplesmente arregalou o olhos, rsrsrs.

PARQUE IDROSCALO: Andamos por este parque uns cinco Km, vi o rio congelado e uma grande área de árvores sem folhas, tudo marrom, mas muito bonito. Neste parque ficamos presos, pois fecharam os portões (sacanagem) e tivemos que pular uns tres metros de altura. Ainda bem que não quebramos a perna. Para tirar o carro lá de dentro também o Marcelo teve que dar um jeitinho brasileiro.



VENEZA: Fomos para Veneza no sábado de carnaval, a primeira impressão que se tem é que estamos entrando num cortiço brasileiro, as ruas são estreitas e as construções muito antigas. Passamos por muitas vicolos e por muita gente até chegarmos no centro. A beleza do centro é deslumbrante, pra todos os lados que você se depara com a água do mar. É só vendo pra crer, os meios de transporte são os barcos e em frente às moradias ficam os barcos para as pessoas saírem, não tem carros, motos ou bicicletas, tudo é no pé ou no barco. Esse è o ônibus deles. O carnaval de Veneza não tem nada a ver com o nosso. Lá as pessoas se vestem como os nobres de antigamente, usam máscaras e não mostram o rosto. Segundo a cultura local, antigamente os nobres se fantasiavam desta forma para não serem reconhecidos pelos plebeus. As músicas são clássicas, As pessoas fantasiadas não dançam, apenas andam pausadamente e tiram fotos com os turistas. Nós até tentamos esquentar o ritmo com um samba nosso, mas não teve jeito, fazer o que?? Outro detalhe, tudo lá é muito caro e eles não tem banheiro público.

VERONA: Nesta cidade eu fiz o meu primeiro grande passeio sozinha, com a cara e acoragem. Fui orientada pelo Marcelo e Erica de como chegar na Estação Central e como fazer algumas perguntas em italiano, tipo assim: Per favore um peso de questo ou Dove é La estacione de trenó di Verona (lógico que não se escreve assim). Verona é uma cidade turística, onde se passou a história do Romeu e Julieta, sua arquitetura também é antiga, igrejas lindas e um Coliseu. Fiz uma trapalhada ao retornar, mas graças a Deus deu tudo certo, peguei um trem errado que deveria pagar mais do que o dobro pela viagem. O trem chegaria no mesmo lugar, mas era mais rápido e caro. Se o fiscal passasse ali eu tomaria uma bela multa, sem saber o porque.


Bom aqui eu escrevi algumas das minhas experiências na Itália. Adorei o país, é realmente muito lindo, a cultura é muito diferente da nossa. Um lugar de pessoas mais velhas, com poucas crianças e com cachorros que não latem (se latirem os donos são multados). Alguns italianos são hospitaleiros, outros querem que você se exploda e se recusam até a dar informações. É um lugar que não tem a desigualdade social que temos no Brasil. Na Itália por mais simples que sejam as profissões das pessoas, elas tem condições de viverem bem, ter uma boa alimentação, moradia e educação etc.

Contudo, eu acho que nós brasileiros, com todos os nossos problemas somos mais felizes, mais abertos e hospitaleiros. Sinto realmente orgulho do nosso país!
Finalizando, adorei o passeio, adorei ficar com meus filhos, fui muito bem recebida e só espero eles nos visitarem. Se tiver oportunidade com certeza volto, pois valeu a pena.


alguem apanhou muito: quem serà?
video

Nenhum comentário: