26/08/2010

Cinque Terre - Itália


No final de semana passado (21 e 22/08) estivemos no Parque Nacional de Cinque Terre, na Itália. Localizado na Província de La Spezia, na Liguria Levante, Cinque Terre é considerado Patrimonio Mundial da Humanidade. Compreende as aldeias de Monterosso, Vernazza, Corniglia, Manarola e Riomaggiore, locais de belezas inexplicáveis. Lembrei dos velhos tempos de Ilha Grande, pico rutz, trilhas, silêncio, camping e muita, mas muita natureza. Nada de salto alto e nada de bolsa ou roupa da moda, porque a moda ali é simples: CURTIR A NATUREZA. 

Iniciamos nosso tour às 5h45 da manhã, quando acordamos, tomamos um café rapidíssimo e fomos para a estação de trem, pois não é recomendado andar de carro naquela região. Alí existem pouquissimos estacionamentos e você fica muito limitado para se locomover entre as cinco vilas. Enfim, nosso trem partiu às 7h20 de Milano Centrale e chegou em três horas e meia. Chegando lá já ficamos boaquibertos com a cor do mar, absurdamente azul. Pensamos "Paraíso". O local em si parecia uma pintura de tão lindo que era.

Demos uma passeada por Vernazza, toda coloridinha e pequenina. Em seguida fomos fazer a trilha de Vernazza até Corniglia. Era completamente íngrime, cheia de subidas e descidas, de dificuldade média-alta, mas sem dúvida valeu cada passo, porque a vista é estupenda. 

De lá fomos às outras praias, entramos no mar e finalmente descansamos um pouco. De noite fomos à Monterosso, onde jantamos e curtimos a praia de noite. Divino ouvir o som das ondas. Bem, até aí ainda não tínhamos ido ao camping que havíamos reservado e já era quase dez horas quando resolvemos telefonar. O camping disponibilizava um micro-ônibus para buscar os hóspedes na estação de trem até às 22 horas e quando ligamos avisando que o trem chegaria às 22h10 foram nos buscar. No camping, ao abrimos a barraca, vimos duas camas com lençóis limpíssimos. O piso era de madeira. Pensei "ué e a barraca? Hotel cinco estrelas" rss. Não acreditamos. Demos uma volta e descobrimos uma estrutura bacanissima. Foi nossa primeira vez em um camping europeu e curtimos demais. 



Embora estejamos falando de um parque nacional, repleto de belezas naturais, os meios de transporte são de "primeira" e funcionam nos horários previstos. 

No segundo dia fomos a Deiva Marina e Porto Fino, este segundo muito conhecido pelos italianos por ser luxuoso. A cidade é toda colorida e radiante.  É possível fazer um delicioso passeio no final de semana. Recomendamos!

Informações: 
- No trem nós pagamos 12 euros ida por pessoa, mas existe também um trem, que custa 20 euros, parte um pouco depois e chega em 2h50.  Confira: www.trenitalia.it
- Para fazer as trilhas é preciso comprar um ticket, que custa 5 euros por dia. Caso a pessoa queira andar de trem ilimitadamente, paga mais 3 euros. 
- O Bilhete de trem entre as cidades custa em média 1,60
- Os aeroportos mais próximos são em Genova e Pisa
- Ficamos hospedados em Deiva Marina ha 15 minutos com trem. Escolhendo uma cidade fora de Cinque Terre, paga-se muito menos em hotéis e não existe dificuldade de locomoção. 
- Para conhecer mais leia: http://www.cinqueterre.com/ita/information/cinque_terre/villages/manarola.php




24/08/2010

Europa: um sonho possível

Olá pessoal,
Insiro no blog mais uma matéria publicada no portal DestaqueSP (http://www.destaquesp.com/index.php/Turismo/Lugares/viagem-para-a-europa.html). Desta vez minha intenção foi dar dicas para quem pretende vir para a Europa.

Quem deseja passar as férias no exterior, mas acredita que este seja um sonho distante, por se tratar de uma viagem muito cara, pode mudar de idéia. Se a globalização induz a um efeito dominó em momentos de dificuldade econômica, ela também é responsável pela redução de fronteiras, que proporciona mais acesso cultural aos indivíduos, transformando-os em cidadãos do mundo.

Viajar pela Europa não é mais um sonho longínquo, que só pode ser realizado pelas elites, muito pelo contrário, nos dias atuais ficou mais fácil, do ponto de vista financeiro, conhecer o Velho Mundo. Com a valorização do real e a queda do euro, as agências de turismo brasileiras começaram a realizar, com freqüência, excursões para diferentes países. Não é raro encontrar brasileiros, nas ruas de grandes capitais como Paris, Londres e Milão, principalmente durante a crise econômica que ainda resiste na Europa.


 
Viajar com excursões ou por conta própria?
Existem duas possibilidades para aqueles que querem conhecer o exterior: fechar pacotes turísticos ou organizar-se sozinho. Os pacotes dão mais tranqüilidade, caso a pessoa não fale línguas ou tenha receio de não se localizar. No entanto, a excursão muitas vezes restringe o turista, que conhecerá somente os locais propostos pela agência, ou seja, se um passeio prevê uma visita ao Museu do Louvre, o turista que desejar ir ao Museu D'Orsay, deverá deixar para uma próxima oportunidade.

Não é difícil encontrar um tipo de pacote que se adéqüe a cada necessidade, uma vez que as agências trabalham com diferentes roteiros.

Quem opta por contratar uma empresa não terá preocupações no que se refere a passeios e hotéis. No entanto, antes de fechar uma dessas viagens, o ideal é informar-se sobre como serão feitos os transportes entre os países, pois algumas excursões realizam as viagens de ônibus e apesar da dimensão da Europa, alguns trajetos podem ser muito longos.

Aqueles que preferem viajar sozinhos, também podem economizar traçando belos roteiros, de acordo com o que desejam ver. Mesmo não conhecendo as 60 línguas e dialetos falados no continente, é fácil se locomover pelas zonas turísticas, pois na maioria dos lugares, os comerciantes se comunicam em inglês e existe uma boa sinalização para os aeroportos, as linhas metropolitanas e as estações de trem. Carregar sempre um mapa da cidade e dos meios de transporte ajudará bastante.


Partindo do Brasil  
Para garantir bons preços no bilhete aéreo do Brasil para a Europa é necessário ter paciência e pesquisar. Consultar freqüentemente agências de turismo e sites de empresas aéreas é imprescindível. A dica é iniciar a busca com antecedência de meses e repeti-la em horários diversos, porque é comum encontrar no mesmo dia, passagens com diferenças de mais de 600 reais. Sites como o do EDrems (www.edreams.pt) e do Vola Gratis (www.volagratis.com), fazem uma procura por vôos e preços de todas as empresas aéreas.



Viajar sozinho é caro?
A resposta a esta pergunta varia conforme o tipo de viagem pretendida, ou seja, quais os países e cidades visitar, onde se hospedar e em que restaurantes ir. Se a idéia é fazer uma viagem de luxo por capitais como Londres, Paris, Madri e Berlin, freqüentando o que os locais oferecem de mais requintado do ponto de vista gastronômico, cultural e de lazer, o custo será alto, principalmente para quem reside no Brasil, considerando o câmbio das moedas Real-Euro.

Entretanto, também é possível gastar pouco e ter uma experiência inesquecível, conhecendo os mesmos pontos turísticos. O segredo é ter organização e pesquisar muito. A maioria das cidades oferece entradas gratuitas, em determinados dias do mês ou em datas comemorativas. Em Paris, por exemplo, a entrada no Louvre é free todo o primeiro domingo do mês e os bilhetes semanais custam menos, a partir das 18 horas.

Hospedagem
A Europa tem espaço para todos os gostos e bolsos. Existem sites como o www.booking.com, o www.mundi.com.br, o www.clickhoteis.com.br e o www.hostelworld.com, em que é possível encontrar hotéis, hostels e campings, pelo mundo inteiro, que melhor se adéquam ao interesse de cada um. Efetuando a reserva com antecedência, encontram-se diárias de hotéis por até 50 euros (o casal), mas é importante ter atenção no momento da escolha para não ser pego de surpresa, pois muitas vezes a página do hotel omite informações básicas como o fato de o banheiro não ser privado e sim comunitário.


Vôos entre os países
Além das tradicionais empresas aéreas, as que fazem sucesso na Europa são aquelas low cost, que oferecem viagens a preços baixíssimos. Planejando bem, é fácil ir a diversos locais. As companhias mais usadas são a Ryanair (www.ryanair.com/pt) e a EasyJet (www.easyjet.com). 

A primeira sempre faz promoções semanais interessantes. Em alguns momentos do ano, um bilhete pode custar até cinco euros com taxas inclusas. A desvantagem é que os vôos geralmente partem de aeroportos afastados. Já a EasyJet oferece viagens econômicas para quem compra a passagem antecedência de um ou dois meses. Em um primeiro instante as tarifas não aparentam ser baixas como as da Ryanair, mas como na maioria das vezes o vôo chega a aeroportos centrais, acaba-se economizando no translado do aeroporto à cidade. Antes de comprar um bilhete low cost é necessário pesquisar detalhadamente, pois muitos aeroportos são localizados à uma hora de distância das capitais principais, e conseqüentemente, se gastará com o transporte.

 
Bagagem

Ao voar com uma empresa low cost é preciso conferir os limites de peso permitidos para não correr o risco de pagar bagagens extras. Para fazer uma viagem com vários destinos é importante levar mochilas fáceis de carregar e que contenham somente o necessário.

As companhias econômicas permitem transportar uma mochila contendo 10 ou 15 quilos por pessoa. Uma dica é levar os documentos pessoais e uma peça de roupa na mala de mão, para o caso da bagagem ser extraviada.


Não leve muita mala

Líquidos
Com o agravamento da política contra o terrorismo na Europa, o departamento de imigração nos aeroportos está cada vez mais minucioso, portanto o turista deve prestar atenção ao que carrega na bagagem de mão, para não perder tempo.

A quantidade de líquidos que pode ser transportada é de 100 ml por produto, ou seja, levar uma bolsinha transparente com produtos como hidrante, sabonete líquido, condicionador, creme dental, desodorante, por exemplo, acelerará o processo.



Pontos turísticos 
Quem viaja sozinho deve definir o roteiro antes de sair do Brasil, dessa forma, não corre o risco de se perder diante da imensa possibilidade cultural que o velho mundo proporciona e nem de ultrapassar o orçamento. Vale ressaltar que todas as cidades possuem um tourist point, onde geralmente distribuem mapas e informativos com os eventos gratuitos e locais mais visitados.

Viagem de trem

Para viajar pela Europa, os trens também são meios de transporte muito utilizados. Quem deseja viajar de Milão para Zurique ou conhecer o Canal da Mancha, obviamente deve ir de trem, assim consegue ver paisagens únicas.

Uma das grandes vantagens de viajar de trem é que não existe limite de bagagem.

A pesquisa de trajetos pode ser feita em sites como a do Rail Europe (www.raileurope.com) ou da Bergamo Turismo (www.passesdetrem.com.br). Quem pretende fazer uma viagem longa, de noite, pode escolher a opção de beliche ao invés de assento, assim conseguirá dormir e chegar ao destino descansado. A única desvantagem dessa escolha poderá ser o valor pago no bilhete, porque no geral viajar de trem não é econômico.


Dinheiro

Nos dias de hoje a maioria dos estabelecimentos aceita cartão de crédito, o que não significa que o dinheiro é descartável em uma viagem à Europa. O melhor a fazer é levar uma quantia em dinheiro, um cartão de crédito e fazer um cartão pré-pago, como o Travel Money (visatravelmoney.dihitt.com.br), que pode ser usado para efetuar pagamentos instantâneos ou saque, sem o pagamento de juros. Para transportar dinheiro é indicado usar uma pochete de pano, muito usada por mochileiros por reduzir a possibilidade de roubo.


Agora, sim, pegue o calendário e programe suas férias. Com organização sua viagem será inesquecível!