16/08/2010

Capital da Moda e do design, Milão também seduz por sua história, arte e cultura

Na semana escrevi uma matéria sobre Turismo em Milão, que foi publicada no portal Destaque SP. Segue abaixo, na íntegra. Clicando no link é possível ler o artigo orginal.




Pesquisa publicada em 2010 pela "Euromonitor International",
empresa britânica que mede a movimentação de turistas estrangeiros pelo mundo,
mostra que em 2008 a cidade recebeu 1.954 milhões de turistas estrangeiros

 Ela é uma megalópole, considerada uma das principais capitais da moda e do design mundiais, famosa pela criação do panetone e do bolo de natal e por possuir entre suas muitas riquezas a original “Última Santa Ceia”, de Leonardo Da Vinci. Os nativos dali são conhecidos como polentone, por serem apaixonados e por fazerem deliciosas receitas com a polenta. A cidade reúne obras de arte, arquitetura, música, castelos e museus, que proporcionam uma viagem por diferentes períodos da história. Agora ficou fácil concluir que se trata de Milão.

Visitada anualmente por turistas e profissionais do mundo inteiro, a elegante Milão não deixa a desejar no que diz respeito à diversidade de possibilidades culturais, que oferece àqueles que desejam conhecer um pedacinho da história italiana. Quem caminha por suas ruas e observa a organização que impera, não imagina o que tem por trás de toda a infraestrutura. A cidade que atualmente é um dos mais importantes centros culturais e financeiros europeus, já foi palco de muitos conflitos, passando pelo domínio dos franceses, espanhóis, austríacos e romanos, e chegando a ser fortemente bombardeada na 2ª Guerra Mundial, quando teve danificados monumentos, palácios, museus e obras de artistas imortais.

A cidade, que é um dos grandes patrimônios culturais da velha bota, oferece a seus visitantes muitas opções de turismo. Abaixo segue um elenco dos locais que são imperdíveis. 

Pontos turísticos

Castello Sforzesco: é considerado o símbolo de poder da casa dos Sforza (família italiana que governou durante o período do renascimento). Construído no século XV pelo duque Francisco Sforza, o castelo abriga a Pinacoteca com suas obras primas como a Pietá Rondanini, de Michelangelo, e as pinturas feitas por Da Vinci, na “Sala delle Asse”. O local já passou por diversos apuros: durante o domínio espanhol e austríaco foi sede de tropas militares e foi quase completamente destruído, quando Napoleão Bonaparte ordenou sua demolição, por enxergá-lo como símbolo de outro império. Tempos mais tarde o castelo foi restaurado. 


Turismo em Milão_4

  
Catedral de Milão ou Duomo: é considerada a 4ª maior catedral do mundo, perdendo para a Basílica de São Pedro (Roma), para a Catedral de Sevilha e para uma nova catedral na Costa do Marfim. A Duomo demorou mais de 400 anos para ser terminada e é a igreja que melhor representa a arquitetura gótica italiana. É repleta de beleza, com suas estátuas de mármore e muito conhecida por possuir uma estátua dourada em seu topo, a Madonnina. É possível conhecer toda a arquitetura por dentro e ainda subir ao terraço, de onde é se vê a cidade.


Igreja e mosteiro Santa Maria delle Grazie: construída a pedido do duque Francesco I Sforza por volta de 1490, é Patrimônio da UNESCO. É famosa por possuir o afresco original de Leonardo Da Vinci, A Última Santa Ceia, que foi pintado na parede do refeitório do convento. Em 1943 a igreja foi destruída pelo bombardeamento dos americanos e ingleses, mas a Última Santa Ceia resistiu. Para visitá-la é necessário fazer a reserva pelo menos dois meses antes.

Pinacoteca de Brera: suas coleções tiveram início nos domínios austríaco e francês, com obras vindas de diversas regiões do País, momento em que a Itália foi unificada. Hoje conta com raridades de Correggio, Pietro Longhi, Piazzetta, Caravaggio, entre outros.



Palazzo Reale: durante anos foi a sede do governo da cidade. Em seguida tornou-se um centro cultural, realizando exposições com obras de renomados artistas internacionais como Picasso e Monet.

Teatro Scala: foi construído em 1778, baseado na arquitetura neoclássica e até hoje é uma das mais importantes casas de ópera do mundo, apresentando concertos de música sinfônica, durante o ano. Em frente ao teatro, existe um monumento que homenageia Leonardo Da Vinci (Piazza della Scala).

Outros dois locais que devem ser incluídos no roteiro, são: a Pinacoteca Ambrosiana e o Museu Nacional da Ciência e Tecnologia de Leonardo Da Vinci. 


Turismo em Milão_6



Ditando tendências

Milão é famosa internacionalmente por sua representatividade e influência nas áreas de moda e design. Durante as quatro estações, a cidade se assemelha a um desfile, transbordando elegância por todos os lados. Isto porque, além de os italianos gostarem de se vestirem bem, marcas como Gucci, Valentino, Prada, Armani e Dolce&Gabbana têm suas sedes ali.

No setor de design, um dos eventos que mais movimenta a economia e o turismo de negócios é o Salão Internacional do Móvel. Só em 2010, o evento recebeu 300 mil profissionais de diversos países. Quem se interessa por esses setores, não pode deixar de passear pelas ruas e praças comerciais mais badaladas como a Galleria Vittorio Emanuele, a Via Dante, a Corso Buenos Aires, a Via Montenapoleone, a Via della Spiga, Via Sant’Andrea, a Via Monzoni e a Corso Venezia.




Turismo em Milão_8


Gastronomia

Os pontos de encontro, principalmente nas estações mais quentes do ano, são a Piazza Duomo e o Naviglio, local com vários bares e restaurantes, que oferece diferentes especialidades gastronômicas. Para degustar boas pizzas e bons vinhos, por exemplo, vale a pena conferir os restaurantes Luna Rossa e Rosso Pomodoro.
A cidade realiza inúmeras exposições e eventos gratuitos. É comum andar por suas ruas em um dia normal e se deparar com uma orquestra ou anúncios de mostras de grandes talentos. Vale a pena conhecer Milão, pois ela é muito mais do que a simples capital da moda e do design. É arte, cultura e história vivas por todos os cantos. Com organização e planejamento é possível conhecê-la bem e gastando pouco.
 
 
Turismo em Milão_9

Como chegar
Existem três aeroportos que dão acesso ao centro: Malpensa, Linate e Orio al Serio. Todos são bem acessíveis transportes públicos. Para obter mais informações acesse:
Orio al Serio: www.terravision.eu/italiano/milan_bergamo
Linate: www.orariautobus.it/autobus-milano-linate
Malpensa e Linate:
www.sea-aeroportimilano.it/en/malpensa/index.phtml?mod=per_mi_scroll&to=come_arrivare


Transporte na cidade

Para se locomover em Milão é bem fácil, pois é possível conhecer muitos lugares a pé. Além disso, o tram (trem elétrico), o ônibus e o metrô interligam toda a cidade. O bilhete unitário de transporte custa um euro e pode ser comprado em estações de metrô, bancas de jornais ou tabacarias. Pode ser utilizado repetidas vezes em até 70 minutos, após sua validação. Existem também os bilhetes chamados “giornaliero”, que têm validade de 24 horas, custam somente três euros e podem ser usados ilimitadamente.
• Como não existe cobrador na maioria dos meios de transporte, os trans, trens e ônibus possuem uma ‘autenticadora’ que serve para carimbar o horário em que o transporte foi usado. Atenção, pois quem se esquece de validar o bilhete, corre risco de pagar uma multa de no mínimo 35 euros.
• O turista que se interessa em conhecer a cidade de bicicleta tem a opção de alugar uma no Bikemi (www.bikemi.com).
• A reserva para as visitas de A Última Santa Ceia e à Pinacoteca de Brera podem ser feitas pelo site: www.vivaticket.it
• Teatro Scala: www.teatroallascala.org
• Pinacoteca de Brera: www.brera.beniculturali.it

Fontes:
Wikipédia/Setor Estatística da Prefeitura de Milão/Ministério de Bens e Atividades Culturais de Milão

4 comentários:

Lucy disse...

Sou louca para ir no Salão do Móvel de Milão, Érica! Quando eu for, seguirei suas dicas! Muito bacanas!

Lili Detoni disse...

Oi, amoreeeee!!!! Que legal essa postagem! Deu tanta saudade!!! Aqui está fazendo muuuuito frio, e estou esvrevendo pra vc e tomando um "ovomaltine" quentinho!Meus pés estão gelados e não vejo a hora de sentir o calor do verão de novo! Enquanto li sua matéria, consegui imaginar a Itália pertinho de mim outra vez... Espero que tudo esteja bem com vc e o Ma, viu? Bacione!
Lili.

Erica Moreira disse...

Ainda não conheci o Salão do Móvel. Esse ano meu ex-professor de jornalismo veio do Brasil com a namorada arquiteta somente para o Salão do Móvel. Eles jantaram com a gente, conversa vem, vinho vai, ele tinha comentado que me deixaria a credencial dele. Depois pensei "puxa, ele esqueceu de deixar a credencial"... uma semana depois eu a encontro: ele tinha me dado naquele dia e eu a guardei.... sabe, conversa vai, vinho vem....rsss. No próximo ano nós iremos. Quem sabe não vamos juntas.

Lili, no friozinho nada melhor do que uma bebidinha para esquentar, fala sério! Uma sopinha, uma polenta, um vinho.... muito bom. A verdade é que eu dispenso o frio! Te juro que estou com medo do inverno que vai chegar, isto porque será o meu terceiro... enfim, vamos que vamos.

Allan Robert P. J. disse...

Uau! Que texto completo. Eu gosto de passear em Milão. Quando preciso ir ao consulado ou encontrar amigos, passo o dia na cidade. Visito galerias, livrarias e a cada viagem descubro coisas novas. Vou de trem e uso o metrô, mas caminho muiot a pé. Gosto de visitar aqueles lugares fora dos roteiros turísticos, já que os visitei mais de uma vez quando cheguei na Itália. A igreja de San Babila é interessante e quase desconhecida, masexistem tantos outros lugares...