07/08/2010

O Diário de Anne Frank

Um diário, uma menina alemã judia, a inocência, oito pessoas e a 2ª guerra mundial, juntamente com a perseguição aos judeus. É disto que se trata o livro "O Diário de Anne Frank". 

Uma garotinha judia de 13 anos,  que sonhava em ser jornalista e escritora, começou a contar em seu diário a rotina que viveu durante dois anos em um esconderijo na Holanda. A princípio, Kitty (Diário) que deveria ser somente um passatempo, foi transformada na melhor amiga de Anne Frank. O livro apresenta um exemplo do que inúmeras famílias passaram, escondendo-se como ratos de esgoto e vivendo como e entre eles. Mostra o modo como pensavam, as inseguranças,  os medos, a dificuldade para racionarem a comida, a higiene, os fatos históricos, entre outros. No entanto, vale ressaltar que essas pessoas que estiveram escondidas no Anexo (como Anne chama o esconderijo) tinham uma boa estabilidade financeira e economias, facilitando que com a ajuda de alguns amigos, mencionados no livro, pudessem comprar comida e roupa.
Apesar de Anne Frank, como qualquer garota dessa idade falar sobre a paixões, chateações com a família e expressar o sentimento de "patinho feio"  con frequência, ela escreve muitas vezes como uma pessoa pessoa adulta, avaliando o cenário histórico, esperando pela invasão dos aliados, estudando, sonhando com um futuro brilhante e independente e principalmente , sonhando com o dia em que veria o sol, respiraria o ar fresco, veria a chuva cair em liberdade.

Em suas declarações, Anne comenta que um dia gostaria que seu diário fosse publicado e sempre demonstrava o otimismo, esperando pelo dia em que o País e os judeus  seriam liberados do domínio de Hitler. Eles estiveram no Anexo por dois anos, e o diário retrata bem, o momento que a Europa viveu e o sofrimento ocasionado. Infelizmente, três dias após a última atualização em seu diário, em 4 de agosto de 1944, políciais da SS invadiram o esconderijo e  todos  foram levados para a triagem, sendo conduzidos em seguida para campos de concentração na Polonia, Austria e Alemanha. Acredita-se que Anne tenha morrido em fevereiro de 1945. O único que sobreviveu foi seu pai,Otto Frank, que foi solto tempos depois, graças a invasão da Rússia e liberação do campo de concentração. Alguns anos mais tarde, uma amiga que os tinha ajudado no Anexo e havia encontrado o diário de Anne, o entregou a Otto que decidiu publicar, para que a história jamais fosse esquecida.    

A princípio eu estava comparando a história com a de outros títulos que li sobre o assunto e estava me frustrando um pouco. Depois percebi que era uma maneira errada de lê-lo, porque o objetivo é outro. Esse aqui é um diário, que conta um pedacinho do que uma das tantas vítimas viveram durante essa perseguição que até hoje não é compreendida e nem aceita. Achei a leitura tranquila, embora triste, até o momento em que o diário foi interrompido. As últimas páginas terminam com uma breve explicação, de travar a garganta.

4 comentários:

ines bachiega disse...

É uma história muito triste, que nos expõe a uma fase horrível pela qual passou a humanidade, sobretudo os judeus. Tenho um livro do mesmo título para crianças alfabetizadas.

Erica Moreira disse...

Oi Ines,

É verdade, é uma história triste principalmente por ter sido real. Eu leio, leio, leio sobre o assunto e o que me enlouquece é não conseguir compreender como uma nação consegue ser manipulada para fazer mal da forma como aconteceu. Talvez seja uma maneira simplista de tentar enxergar as coisas e por isso não consigo entender.

Obrigada pela visita.
bacio

Rodrigo disse...

Li esse livro duas vezes, a primeira quando ainda estava na escola e a segunda depois de visitar a casa de Anne Frank. A historia é realmente comovente. Indo a Amsterdam nao esqueça de passar por la, foi uma melhores experiencias que tive la, tirando os coffee shops ahaha

Erica Moreira disse...

Tenho observado nas estatísticas do blog que a maior parte dos leitores entra para ler sobre A Cabana e sobre O Diário de Anne Frank. São realmente muitas as visitas, mas ninguém me deixa um comentário sobre o que achou do livro, do resumo ou o motivo pelo qual resolveu ler esses títulos.

O gostoso de escrever é saber que alguém lerá e compartilhará opiniões positivas e negativas.

Se vc entrar aqui deixe seu comentário, com certeza será enriquecedor para mim e para outros leitores.

Obrigada, abraço. Erica