17/11/2010

3.0 - Não, Não é o novo windows

Cheguei aos 30, uma das fases consideradas como "a fase difícil", de mudanças e preocupações. Na verdade não me sinto assim. No final das contas, eu sempre fui responsável e como 90% das pessoas pensei mais no futuro do que no presente. Digamos que fazem somente dois anos passei a curtir mais cada momento, sem me preocupar tanto. É verdade que as vezes me sinto envelhecendo, porque as pessoas têm uma forte tendência a reforçarem isso, mas no geral eu nem ligo. Não me agrada a idéia de ficar velha não pelo fato de ter rugas, mas pelo fato de que você começa a mensurar o tempo e pensa em como sincronizar tudo o que deseja fazer.

Eu detesto as imposições sociais e as pessoas dizendo que a gente tem que realizar os objetivos agora, porque depois será tarde demais ou porque ficaremos velhos. Acho que cada um tem um modo de ver a vida e consequentemente cada um tem seu tempo. A sociedade define que as pessoas precisam se casar com determinada idade, ter filhos e fazer carreira na idade certa. Certa para quem? Para o estado? Para o sistema? Para a familia? Para quem? O problema é que essa imposição é tão constante, que sem notar, um dia você percebe que de um certo modo a idéia  de ficar velho foi inserida em sua vida. Passamos grande parte do tempo colocando limitações e regras para nós mesmos, regras que na verdade não transformam positivamente a vida e que podem te fazer ser uma pessoa deprimida e frustrada.

Hoje em dia eu não sigo muito as regras. A regra para mim é ser feliz e aprender a lidar com a minha natural inquietude. Eu gosto mesmo é de correr riscos e de aventura. Daí um dia você faz 3.0 e um monte de gente diz que você precisa ser mais sério, ter filhos, correr contra o tempo. Para mim não são os anos que contam, mas sim o que você decide fazer com o tempo que passa. 30 pode ser pouco ou muito, como 70 pode ser pouquissimo para o que se deseja fazer na vida.

Ontem me dei conta de que os meus primeiros 20 anos foram focados em estudar, fazer universidade e curtir minha família. Bem, tudo o que eu sou agora, comecei a plantar lá atrás. Depois quando tinha 19 anos conheci o Má. Dos 20 aos 30 me formei, aprendi a fazer jornalismo e descobri que nasci para isso, descobri que amava aventuras e que queria morar fora do Brasil, conhecer mundos e culturas diferentes, morar em um país de língua inglesa, me casar e construir a minha família. Mas descobri principalmente que sou um espírito livre, motivado por constantes mudanças. Hoje, sei que entre os 20 e os 30 casei exatamente com o homem que eu amava, que estamos vivendo uma experiência inesquecível e única e que temos familias magnificas.

Ontem, 16 de novembro, foi um dia lindo para mim, porque senti o amor e o calor de todas as pessoas que me rodeiam no Brasil, na Itália e em outros países. Me senti muito especial e importante seja para minha familia, seja em minha casa, seja em meu ambiente de trabalho. No meu trabalho teve até festa surpresa, algo que eu nunca esperaria, já que os italianos não tem esse costume. De noite o Má me levou para jantar em um restaurante Mexicano e passei momentos lindos com ele. Consegui sentir bem pertinho, o carinho da minha familia e dos meus amigos que estavam longe e acima de tudo, percebi que fazer 30 anos significa sim crescer, mas principalmente que tivemos trinta anos para construir coisas boas e colhermos os frutos que foram plantados. Não importa quantos anos você tem, mas sim o que você fez com eles.

Obrigada a todos pelos e-mails, sms e ligações! Obrigada a minha familia e amigos do Brasil por serem presentes mesmo com toda essa distancia. Obrigada aos meus amigos da Itália por tornarem o meu dia cheio de surpresas e sem tristezas. Obrigada ao meu marido, que além de fazer o meu dia ontem muito feliz, faz com que eu me sinta importante todos os dias. Sou muito sortuda, de verdade!






video

8 comentários:

Anônimo disse...

ciao Erika,

che belle queste foto...ma chi te le ha fatte?
ahahahahah
Fede

Juliana Rossa disse...

Parabéns Érica! Que os teus objetivos continuem se realizando!
Que bom se sentir amada dessa maneira, como vc descreveu!
Beijos!

Vivis disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vivis disse...

Ragazza,
Fico feliz em saber que vc curtiu bastante esse dia tão especial ;)
E que saudade que me deu ao ver esse video...
Beijos =*

Erica Moreira disse...

Fede, ho fatto tutto io. Sono belle no? Io sono riuscita a programmare la macchina fotografica. hahhahaha. Grazie Fede, se tu non avesse fatto le foto, non avrei potuto registrare qui.

Juliana, vc tem razão. Isso faz a diferença, sem dúvida!

Vivi, obrigada. Também sinto falta dos nossos vídeos em Trento. Esperamos vc aqui

Lili Detoni disse...

Carissima! Como vc é linda!!!! Eu digo "linda" porque vc consegue expressar suas palavras diretamente ao coração de quem lê. Eu também não me sinto velha (e olha que eu tenho 48 anos!!!) e faço exatamente todas as coisas que sinto vontade: trabalho feliz, viajo muito, danço minha dança do ventre e me sinto muito feliz! Vc é uma mulher que sabe o que quer e luta pelos seus objetivos. Ter 30 anos é estar apenas começando, cara mia! Se eu fosse vc, apostaria nisso! Mais uma vez, felicidadeeees!
Bacio!!!!!

erika_freitas18 disse...

Pra variar....rs....vc conseguiu me emocionar....Lindo tudo o que escreveu e mais lindo ver vc concretizando os seus sonhos, vivendo sua história de amor, ampliando seus horizontes, amadurecendo sem perder o gosto de sonhar. Seja muito feliz...funkeirinha!!! Bjs

suelen folego disse...

Auguri in ritardo... :-)))

Beijos.