31/05/2011

DestaqueSP: Jovem italiano e seu relacionamento com o futuro

Escrevi para o DestaqueSP uma matéria sobre uma pesquisa publicada na Itália que aborda um pouco da realidade enfrentada pelos jovens italianos. A matéria pode ser conferida no link abaixo:


Jovem italiano e seu relacionamento com o futuro
Turismo / Especial
Escrito por Érica Moreira Ritacco on Ter, 31 de Maio de 2011 09:47


Uma pesquisa publicada no dia 17de maio pelo Eurobarómetro, site que realiza análises sobre a opinião pública da Europa, mostrou que os jovens italianos não acreditam mais na utilidade do diploma universitário para o sucesso no mercado de trabalho. Apesar de se tratar de uma desilusão generalizada nos países do velho continente, é na Itália que está o maior índice de descrença: quatro entre dez italianos afirmam que o diploma não é importante para o futuro.

Enquanto na Dinamarca a graduação é considerada um elemento básico, na Itália 93% dos entrevistados acreditam que o estudo não seja um diferencial para o mercado de trabalho. A pesquisa, realizada com 30 mil europeus com idade entre 15 e 35 anos, demonstrou também que um dos fatores de desestimulo dos italianos é a enorme distância existente entre a universidade e o mercado: a cada dois entrevistados, um mencionava este problema. Os números indicaram ainda que somente 22% dos jovens são convictos de encontrar emprego na área em que estudaram e que, ao contrário do que se observa pelo mundo, na Itália só 26% dos entrevistados reconhece o quanto as experiências internacionais podem influenciar positivamente no efetivo desenvolvimento do profissional. São esses os fatores que justificam a queda de 9,2% no número de novos inscritos nas universidades italianas nos últimos quatro anos, de acordo com pesquisa apresentada pelo consórcio especialista em carreiras Almalaurea.

Sonho impossível?
Esta é realidade que a Itália enfrenta atualmente. Os graduados concorrem às mesmas vagas que aqueles que não tiveram a oportunidade de se formar. E a crise que reina na Europa exerce impacto direto sobre as decisões da população, que muitas vezes acaba não avaliando sequer a possibilidade de buscar uma realização, seja pessoal ou profissional. Não é incomum se deparar com jovens sem perspectiva, formados em Arte, Comunicação, Direito, Engenharia, entre outros.


Não faltam casos de graduados, pessoas inteligentes e cultas, que resolveram deixar de lado o sonho de trabalhar na área, por não acreditarem na possibilidade de ingressarem no mercado e de serem bem remuneradas. São pessoas que apesar de terem se dedicado ao estudo em tempo integral, acabaram influenciadas pelo ambiente ou manipuladas pelo “sistema”, que as fez acreditar completamente na incapacidade de conseguir “o trabalho dos sonhos”.

É verdade que a Itália ainda vivencia uma crise - infinitamente menor do que a Espanha, Portugal ou Grécia -, assim como é verdade que as empresas exploram cada vez mais seus funcionários, apoiadas por uma lei italiana que não só facilita, como possibilita a elaboração de contratos de trabalhos inúmeras vezes indignos. Para se ter idéia, um indivíduo pode ser contratado como estagiário mesmo muito tempo depois de ter finalizado sua faculdade, o que significa que alguém formado anos atrás corre o risco de atuar como estagiário e receber apenas uma pequena ajuda de custo.

É difícil compreender como um País de primeiro mundo, referência em diversos setores e que atrai para suas universidades estudantes de todas as nações, tenha limitado tanto o investimento para o desenvolvimento de seus cidadãos. Se o futuro está nas mãos dos jovens, então existe um problema real que repercutirá mais adiante. Os jornais citam com frequência a fuga dos talentos nos últimos anos, já que em muitas ocasiões os recém-formados decidem apostar na carreira no exterior, por entender que na Itália deverão enfrentar dificuldades como ser obrigado a aceitar um trabalho mal remunerado, mesmo após anos de aperfeiçoamento, só para ter a oportunidade de atuar na área.

Não é de se estranhar que nos corredores das empresas ou em ambientes públicos não se ouça falar com frequência em temas como pós-graduação, mestrado ou cursos de línguas. Sem estímulo financeiro e possibilidade de crescimento profissional, os jovens se sentem desvalorizados e acabam optando por trabalhar em outros setores, que se não trazem satisfação, ao menos lhe garantem um salário digno. Este é um ciclo vicioso em que o empregador ganha e o Estado perde não somente dinheiro, mas sim o bem mais precioso que um País pode ter: o TALENTO.

30/05/2011

Meu artigo e fotos no Corriere della Sera

Hoje fiquei bem feliz porque na semana passada desenvolvi uma matéria sobre opções de viagens rápidas durante o verão europeu. Escolhi falar sobre o Parque Nacional de Cinque Terre, por ter sido uma das melhores viagens que fizemos na Itália, em pouco tempo. Após elaborá-la encaminhei a sugestão para o jornal Corriere della Sera, sem acreditar muito que ela seria aprovada. Como muitos sabem, sou perfeccionista demais e sempre acho que tem muita coisa para melhorar, mas enfim, hoje o Corriere me comunicou que além de aprovado, o texto já tinha sido publicado, utilizando, inclusive, as fotos que encaminhamos. Confira o texto no link Corriere della Sera_Cinque Terre

Encaminho a matéria abaixo:
Selvaggio e charme naturale



Cinque Terre mischia il selvaggio con charme naturale
Per Erica Ritacco

Avventure, trekking con scalate e ripide discese, molta vegetazione, spiaggia, mare cristallino e montagne dappertutto. Questo è lo scenario del paradiso naturale delle Cinque Terre, che si trova in Liguria Orientale, nel nord dell’Italia. Chi crede che le uniche spiagge belle dell’Italia sono quelle del sud come ad esempio Calabria, Sardegna, Sicilia o Puglia, si sbaglia. A solo due ore e cinquanta minuti da Milano è possibile conoscere spiagge che anche se non sono considerate le mete tradizionali dei turisti meritano, senza dubbio, di essere incluse nella lista dei posti da visitare almeno una volta nella vita. Le Cinque Terre è un parco nazionale che comprende le città di Monterosso, Vernazza, Corniglia, Manarola e Riomaggiore. Considerato Patrimonio Mondiale dell’Umanità dall’Unesco, questa terra ricca di incredibili specialità gastronomiche è la destinazione ideale per chi apprezza la tranquillità, ma ammira anche la comodità di essere vicino alla città.

Il parco è allo stesso tempo una regione rustica ed elegante, con vie strette piene di ristoranti, negozi di souvenir ed accoglienti alberghi. Chi preferisce stare più vicino alla natura può alloggiare nei campeggi, che in generale offrono un’ottima infrastruttura. Il viaggio nelle Cinque Terre può essere realizzato in treno o macchina, ma conviene lasciare la macchina a casa perché questa zona dispone di pochi parcheggi e diverse limitazioni di traffico. Tra l’altro, il viaggio con il treno (www.trenitalia.it) ha un costo veramente basso: tra 12 e 20 euro, variando a seconda dell’orario di partenza e la categoria del treno. Per conoscere le spiagge nelle Cinque Terre esistono tre possibilità: le persone che dispongono di più tempo e vogliono godersi ogni dettaglio camminando devono solamente portarsi qualche bottiglia d’acqua e avere un po’ di preparazione fisica. Le strade dove si fa trekking sono un po’ faticose e sembrano essere difficili da raggiungere, ma si viene ricompensati dalla bellezza del paesaggio. Il turista, invece, che vuole conoscere il posto ma non desidera fare lunghe camminate ha la possibilità di muoversi con i treni, che partono a brevi intervalli e attraversano tutte le città.

Il turista ha diverse alternative per spostarsi nelle Cinque Terre:
1) acquistare il biglietto giornaliero di treno, con costo di cinque euro e utilizzo illimitato, ma che non permette l’accesso all’interno del parco; 2) comprare il biglietto che consente la visita al parco sia a piede che in treno, ad un valore di otto euro al giorno, 3) conoscere il parco e i paesi esclusivamente praticando trekking, pagando circa 3 euro al giorno; 4) Acquistare il biglietto di 19,50 e avere uso illimitato sia del treno che della nave che realizza le gite.
 
Durata approssimata delle strade di trekking
Monterosso a Vernazza (3,8 km): 2 ore
Vernazza a Corniglia (3,4 km): 1h45
Corniglia a Manarola (2,8 km): 1 ora
Manarola a Riomaggiore (1 km): 25 minuti
 
Gastronomia Cinque Terre è sempre stata riconosciuta per il vino, per il pesto e per la focaccia, ma i prodotti come il liquore limoncino, la marmellata e il pesce acciughe sono tipiche e meritano essere apprezzati. Insomma, questo è il tipo di viaggio che può essere fatto in pochissimo tempo e che lascia qualunque meravigliato.



28/05/2011

O casal mais bonito da cidade.... il tormentone dell'estate

Talvez vocês já conheçam "A banda mais bonita da cidade". O Corriere della Sera da semana passada publicou uma matéria anunciando que a canção do grupo curitibano provavelmente será uma das mais ouvidas no verão italiano. A musica é bonitinha e transmite uma ótima energia. A única observação que tenho a fazer é que a canção é baseada em somente uma estrofe, repetida por cerca de seis minutos, o que acaba deixando-a cansativa. Vejam a matéria Corriere della Sera 

Enfim, em homenagem à "banda mais bonita da cidade" fizemos o videozinho abaixo para mostrar o "casal mais bonito da cidade".

26/05/2011

Sirmione del Garda (Lago de Garda)

Castelo Scaligero
Sexta-feira passada (21/05) cheguei em casa sem vontade de passar o final de semana em Milão. Tínhamos combinado de colocar a bike no carro e ir ao lago de Varese, em uma cidadezinha próxima, somente para relaxarmos um pouco. De repente me dei conta de que até hoje não conhecíamos o Lago de Garda, o maior da Itália, com uma superfície de 370 km2, passando por três regiões da Itália (Lombardia, Veneto e Trentino Alto-Adige). 

Lago Sirmione del Garda
 Na verdade, a chegada do verão nos faz cada vez mais querer passear, aliás para que ficar em um local fechado já que teremos oito meses de frio?

Diversão na certa!
Conclusão: no dia seguinte acordamos às 7h30 da manhã e colocamos o pé na estrada rumo a Trento, onde visitamos vários amigos e passamos bons momentos. 
Grandes amigos: David na Inglaterra, Davide na Itália, David no Brasil.
 "Ai, que saudade de falar inglês..."
Domingo madrugamos novamente: às 8 horas estávamos em pé, destino ao Lago de Garda, mais especificamente a cidade de Sirmione del Garda. Rico em belezas naturais, é um local realmente encantador, sua água é tão cristalina que fica difícil fazer distinção entre mar e lago.  A cidade parece de brinquedo, tudo pequenininho e delicado. Sua organização e estrutura me fizeram lembrar um pouco Sitges, na Espanha.



De Sirmione partem balsas ou lanchas-taxi, que promovem passeios, a partir de 10 euros para outras partes do Lago de Garda. Geralmente os turistas de outros países acabam fechando pacotes para conhecerem, senão todo, grande parte do lago. Existem também trenzinhos turísticos, que cortam algumas regiões da cidade. Já para quem mora por aqui e quer relaxar um pouco, fugindo da correria do dia-a-dia, este é sem dúvida um passeio aconselhado.
Dê uma olhadinha para o primeiro plano....
É possível conhecer, tranquilamente, o Sirmione del Garda em dois dias e além de admirar a beleza do lago, pode-se passear pelas Grotas de Catullo (ruínas de uma vila romana), pelo Castelo Scaligero e saborear um daqueles deliciosos sorvetes italianos. Lembre-se: não é à toa que a Itália é muito famosa pelo gelato (sorvete), portanto se você decidir vir para cá, no inverno ou no verão, não deixe de experimentá-lo! 
Quer sorvete? sapore cioccolato fondente
Existem três opções para se chegar a Sirmione: a primeira é de carro, pela auto-estrada A4; a segunda é com trem, sendo que as estações mais próximas são Peschiera e Desenzano sul Garda (linha Milão - Veneza), mas em seguida é necessário pegar um onibus que demora cerca de 20 minutos para chegar ao centro de Sirmione.


Já para quem vem de avião, existem dois aeroportos localizados ha 40 minutos de carro do centro: Valerio Catullo di Verona Villafranca e o Aereoporto Gabriele de Annunzio di Brescia Montichiari.

17/05/2011

Hospedagem em Veneza

Muita gente me escreve pedindo dicas de hotéis em Veneza, mas como moramos bem perto, nunca nos hospedamos por lá. Na semana passada nossa amiga Kelli viajou com a família pela Itália e um dos destinos escolhidos foi este, onde ficou hospedada por alguns dias. Ela, que assim como outras pessoas que viajam em grupos e já tiveram a experiência de alugar casas, ao invés de hotéis, me falou sobre as facilidades e o custo-benefício que a experiência traz.

"Para nós foi ótimo, pagamos por dia o que seria equivalente a apenas um quarto, se ficássemos em hotel. O apê condiz exatamente com as fotos, todos os eletrodomésticos funcionam, os móveis são novos, as roupas de cama e toalhas eram limpas e novas, tinha wifi e as proprietárias eram fofas. Foram nos buscar no "ponto de ônibus", ficaram quase uma hora conosco, explicando tudo sobre a cidade. Elas até nos emprestaram um guia".

Você pode encontrar boas opções de apartamentos no site que ela utilizou: http://www.homelidays.com/PT-Alojamento-Ferias/100_Home/Home.asp

No caso de Veneza, Kelli alugou um apartamento muito gracioso, que pode ser conferido no link ao lado:  http://www.homelidays.com/venezia/apartamento291848pt1.htm?FAff=DYN&AffHD=HD

Fica a dica para quem quer se aventurar por Veneza!

Leia mais sobre Veneza

15/05/2011

Sports Tracker

Ola galera!
Para quem curti praticar esportes, aqui vai uma dica!   

Sports Tracker é um aplicativo para celulares em que você controla seu desempenho na hora de fazer atividades físicas. Um aplicativo com um sistema GPS, criado especialmente para monitorar atividades físicas. Você tem informações da velocidade atual, distância percorrida, tempo e a quantidade de calorias queimadas.



Instale no seu celular: http://www.sports-tracker.com

Mais um final de semana delicioso!

Wow, acabamos de chegar em casa e sò passei por aqui para registrar que esse final de semana foi delicioso. A previsao do tempo informava que iria chover sem parar a partir de sexta-feira, mas ao invés disso, Sao Pedro deu uma trégua e nos presenciou com dias bem agradàveis. Sàbado fomos festejar a 18a vitòria do Milan na Copa Italia, na Piazza Duomo. Dà para imaginar a bagunça né? 

Hoje, apòs fazer minhas tarefas em casa (passar roupa ....ecaaa), pegamos a Bike novamente e pé na estrada. Nao deixamos o cansaço nos vencer. Fizemos 40,0 km e passamos por ciclovias muito bonitas. O corpo està pesado, mas dà para começar uma nova semana com bom humor. 
Nova descoberta...

gato!

No meio da ciclovia, me senti na fazenda em Colina
Uhuuu, metade do caminho

Descansando



12/05/2011

Até logo Sedentárismo


Temos passeado bastante em bicicleta para aproveitar a primavera. Este mês decidimos andar de bike ao menos três vezes por semana, para deixarmos o sedentarismo um pouco de lado e enrijecermos nossos músculos sarados e potentes (rs). Estamos seguindo esse ritmo há duas semanas, o que significa muito, já que não é fácil se exercitar depois de dez horas de trabalho. Eu particularmente chego em casa morrendo de fome e exausta, por isso que muitas vezes acabamo me desanimando por diversos fatores como tempo nublado, tarefas de casa, etc. Acontece que agora virou meta: exercício no mínimo três vezes por semana, sem direito a desculpas esfarrapadas.

Domingo passado (8/05) fomos de bicileta para a Duomo, onde encontramos um casal de amigos que estavam chegando de Lisboa. Saimos de casa às 10h30 e ficamos em giro até às 21 horas. Chegou um momento em que eu pensei "nossa, estou acabada, não consigo mais andar. meu Deus!" Na verdade o pneu da minha bike estava furado  e só notei após 20 minutos que estava no caminho para casa. Enfim, fomos procurar uma oficina para trocar a câmera de ar e acabamos por vender vender a minha bike e a do Má (a dele estava péssima). Na terça-feira  compramos AS BICICLETAS: duas Mountain Bike Pieghevoli (daquelas que podem ser dobradas), assim quando viajarmos podemos levá-las dentro do carro.

Bem, eu achava que a minha antiga era boa, apesar do uso, mas ontem quando cheguei em casa e fomos para a rua .... wow! Simplesmente amei! Fizemos quase 20 km e não senti nada. Inclusive, nós encontramos uma ciclovia um pouco escondida dentro de Milão, há cinco minutos de casa. Ela é demais, porque no meio da bagunça da cidade, você consegue encontrar um local silencioso, vazio e cheio de vegetação ao redor.

Quando cheguei em casa às 22hs estava com uma mega disposição e um ânimo de deixar qualquer sedentário (como eu) com inveja. Delícia!

Pois é, espero que os dias sejam bonitos assim, pois é muito prazeiroso sair por ai respirando o perfume da natureza, ouvindo os insetos, os grilos.




02/05/2011

Pequenos Detalhes da Vida

Nada melhor do que o bom tempo, o calor e a primavera. Nada melhor do que poder pegar a bicicleta e andar sem preocupação pela cidade. Com os dias mais longos, eu percebo o quanto amo o horário de verão. Poder sair às 19 horas e ver a luz do dia é impagável, assim como não tem preço vestir uma bermuda e calçar uma sandália após sete meses de inverno. São situações muito simples, mas que muita gente não dá valor por fazer parte de uma rotina. Há alguns anos nós não tínhamos idéia da importância que os "mínimos detalhes"  fazem na vida de uma pessoa, exatamente porque enriquecem e que transformam um dia comum em especial e inesquecível.


Você alguma vez já conseguiu interromper a sua rotina por alguns minutos e sair andando sem rumo, respirando o ar puro, observando as casas, as pessoas, as cores, a arquitetura, as línguas, as plantas, enfim a vida? Se você não tem o hábito, tente fazer algumas vezes. Te garanto que você sentirá a sensação de alma lavada.

Me lembro de uma vez em que eu estava voltando para casa, de bicicleta, após um longo e duro dia de trabalho, quando começou a nevar. Nevava muito e eu no ápice do estresse quase comecei a chorar. Não sei o que me tocou, mas quando eu comecei a me questionar sobre as minhas escolhas, sobre o que eu tinha vindo fazer na Itália, me dei conta de que aquela era uma jóia que eu tinha ganhado de presente. Cansaço não era nada no meio da imensidão e beleza que eu estava presenciando. Era só questão de abrir os olhos e ENXERGAR: quantas vezes eu teria a possibilidade de apreciar a neve caindo, ver as ruas branquinhas, as pessoas brincando de fazer bonecos, os casais namorando, os cães correndo de um lado para o outro, senhoras sorridentes observando a paisagem por suas janelas?

Primeira vez em que minha mãe viu a neve

<><>
 
No dia em que saiu a cidadania italiana nós brindamos com nossos pais.
 Essa era a taça que estava na casa dos meus pais.
A verdade é que esses momentos não são raros, somos nós que não conseguimos reconhecer a magia da natureza, somos nós, seres imperfeitos, que buscamos sempre a perfeição em tudo: nos lamentamos porque faz sol e reclamamos porque faz chuva.
Ontem resolvemos aproveitar o domingo e sair de bicicleta para fazer algumas compras pelas lojas da cidade. Saímos sem destino pelos quatro cantos de Milão. Nosso objetivo principal era curtir o momento, observar as pessoas e sermos felizes. Giramos das 11 às 21 horas, mas apesar do cansaço, foi um dia excelente. Inúmeros países diferentes, várias línguas e culturas e tantas formas de enfrentar a vida reunidos no mesmo lugar. Eu particularmente acho isto sensacional porque é riqueza, é experiência, é possibilidade de fazer amizades e de conhecer outras verdades. Quando não vivenciamos realidades diferentes,  passamos grande parte de nossa vida acreditando que somos os donos do mundo.


Esse é meu exercício da semana. Viver com mais qualidade e enxergar o que existe de bom por aí, por aqui e por lá.

Erica