12/11/2013

Descobrindo a Croácia em 2 rodas...

Em agosto deste ano fomos de moto para a Croácia e Bósnia e Herzegovina, um dos passeios mais enriquecedores que já fizemos.



Assim que voltamos do Brasil, decidimos aproveitar as últimas semanas de calor e fazer algo mais inusitado do que uma viagem de avião para algum paraíso. Anos antes já havíamos atravessado, de carro, a França, a Alemanha, a Bélgica, Luxemburgo e a Holanda. Desta vez, a ideia era termos uma aventura mais reveladora. Sair por aí, com um meio de transporte que nos permitisse ir para qualquer lugar, em qualquer horário, sentindo a sensação de pura liberdade. Só a moto nos proporcionaria esta experiência!  Marcelo estudou alguns roteiros, escolhemos os hotéis e pé na estrada! 


Saímos da Itália bem cedo, passamos pela Slovênia e chegamos na Croácia após sete horas de uma viagem com poucas paradas. A primeira cidade que conhecemos foi HUM, a menor cidade do mundo, pelo Guinnes Book. Com somente 23 habitantes, a cidade tem somente uma criança, chamada Carlo. Dá para imaginar uma cidade com uma criança? Foi construída no século XI como um castelo medieval e seu desenvolvimento ocorreu somente do lado de fora dos muros. Moradores mais velhos contaram que há alguns anos existia cerca de 200 habitantes, que na cidade tinha, inclusive, uma escola. No entanto com o pouco desenvolvimento, as pessoas acabaram aos poucos migrando para outros lugares. A cidade é tão pequena que é possível conhecê-la em meia hora, no resto do tempo você pára e escuta o barulho do silêncio, pássaros, vento balançando as folhas das árvores. Durante as horas que passamos ali pudemos presenciar uma senhora saindo de casa com aspirador de pó e indo limpar a igreja e em seguida varrer a calçada, como se fosse a casa dela. 
Essa parte da Croácia é muito famosa pelo tartufo (tipo de fungo particular) que pode ser branco ou preto e que são usados para fazer pratos de massa e peixe, em geral. Para quem não conhece, o tartufo branco pode ser caríssimo, tanto que os croatas pagam até € 20 mil euros por cães para buscar esses tartufos.















De lá fomos para nossa pousada que ficava dentro do parque natural de UCKA, uma floresta praticamente virgem com fauna e flora estupendas. Uma das coisas que nos surpreendeu foi o fato de muitos ursos viverem no parque. Inclusive alguns restaurantes da região fazem pratos especiais, com carne de urso e de veado (cervo). Não tivemos coragem de comer a carne de urso, mas adoramos dois pratos em particular: Bisteca de Cervo com Funghi e Bisteca de Cervo com Mirtilli, acompanhada de uma boa cerveja da região de Istria, a Favorit. Uma das coisas que me chamou a atenção foi a moeda deles, o Kune. A moeda equivalia a € 7,14 e tinha estampados animais como ursos e aves. Talvez esta seja a última viagem que fazemos na Croácia, em que ainda existe o Kune, pois como o País entrou para a comunidade européia, está prestes a aderir ao euro. Aliás vários restaurantes e hotéis já aceitavam euro.







Outra curiosidade nos foi contada pela funcionária da pousada: em alguns períodos do ano a caça aos ursos é permitida, pois eles acabam matando muitos animais que vivem ali. O lugar é bem selvagem, a gastronomia é ótima, mas sinceramente não indico o hotel em que ficamos, pois a água para tomar banho era gelada, o lugar muito frio e de noite subia um cheiro terrível de esgoto. Como já era tarde, a solução foi dormir cedo e seguir nossos planos no dia seguinte. Enfim, desaconselhada a Pensão Poklon.

De manhã bem cedo fomos para a praia de Crikvenica, onde havíamos alugado um quarto por três dias. Muitos falam da Croácia por ter maravilhosas praias, mas nosso foco nesta viagem não foi somente o mar. Crikvenica tem uma praia muito simples e dentro do normal, com a diferença de que o pequeno espaço existente para tomar sol é feito de pedras e a praia é bem cheia.    

De lá fomos para Stara Baska, na ilha de Krk, uma praia bem complicadinha para chegar, mas que tinha uma beleza quase inexplicável. Para curtirmos a praia tivemos que fazer uma trilha de dificuldade média por uns 20 minutos. O lugar vale muito a pena!  











Nestes três dias ficamos hospedados em uma pensão graciosa chamada Privathaus Marija. O lugar era aconchegante, limpo, tinha geladeira e um ótimo café da manhã. Digo que tinha geladeira porque quem faz essas viagens mais rústicas sabe o quanto algumas coisas básicas podem facilitar a vida. A única observação que tenho a fazer é que os donos não falavam inglês, nem italiano, somente croata ou alemão, então dá para imaginar a nossa conversa. Agora mesmo estava olhando no booking e notei que a pontuação da pousada caiu bastante, mas quando estivemos lá passamos ótimos momentos. 

Esses foram os primeiros dias da nossa viagem, mas melhor parte esta por vir nos proximos posts, onde contaremos sobre Parque Plitvicka, Slunj e a Bosnia.

27/10/2013

A Cura de Schopenhauer


Escrito por Irvin D. Yalom, o livro A Cura de Schopenhauer traz para o leitor uma história que harmoniza filosofia e terapia. A história começa quando o psiquiatra Julius Hertzfeld descobre, em uma consulta de rotina, que está com câncer e que tem somente um ano de vida. No início Julius fica desesperado, sem saber como usufruir o tempo que lhe resta. A princípio, enfrenta muitas crises de desespero e fica completamente perdido, pois diz que todos sabemos que um dia morreremos, mas quando alguém te dá uma data como previsão, tudo muda. O autor abre o livro com a seguinte frase:


"Cada vez que respiramos, afastamos a morte que nos ameaça. 
(...) No final, ela vence, pois desde o nascimento esse é o nosso destino e ela brinca um pouco com sua presa antes de comê-la.
Mas continuamos vivendo com grande interesse e inquietação pelo maior tempo possível, da mesma forma que sopramos uma bolha de sabão até ficar bem grande, embora tenhamos absoluta certeza de que ela vai estourar."


Em um segundo momento, Julius resolve que levará sua vida exatamente como fazia nos anos anteriores e decide procurar antigos pacientes para descobrir se de algum modo conseguiu ajudá-los "Será que você foi realmente, verdadeiramente, útil para seus pacientes? Talvez só tenha ajudado os que iam melhorar de qualquer jeito"  

Decide então telefonar para Philip Slate, um ex paciente que era totalmente obcecado por sexo e que, embora seu tratamento tivesse durado três anos, não tinha sido capaz de curá-lo. Ao encontrar Philip, o psiquiatra fica surpreso com o fato dele ter se curado de sua obsessão com a ajuda da filosofia de um dos filósofos mais pessimistas da humanidade: Arthur Schopenhauer. Philip estava curado da necessidade do sexo, mas tinha se tornado uma pessoa ainda mais fria, racional e isolada. Sempre solitário, havia decidido que seria orientador filosófico e que usaria Schopenhauer para curar outras pessoas, como tinha acontecido com ele. Julius propõe encontrá-lo outras vezes para poder compreender sobre sua cura e nota que para que Philip possa ajudar outras pessoas, ao invés de prejudicá-las, precisa aprender a se relacionar com os outros. Philip pede sua ajuda para orientar seu trabalho e Julius sugere que em troca ele frequente o Grupo de terapia, o qual coordena algumas vezes durante a semana. 

Philip passa então a participar das sessões, mas fica muito isolado durante os diálogos e discussões com o Grupo, participando somente a partir dos pensamentos de Schopenhauer, sem nenhum tipo de envolvimento humano. A chegada de Philip faz com que o Grupo discuta questões essenciais para o desenvolvimento de todos. Se antes muitas discussões eram superficiais, agora passam a tratar de questões básicas como perdão, erros, arrependimentos, crescimento pessoal, entre outras coisas. 


A obra consegue, ao mesmo tempo que nos apresenta os pensamentos de Schopenhauer, fazer com que o leitor pense sobre sua própria vida. Não se trata de concordar com todos os pensamentos de Schopenhauer, pois muitos deles são de um pessimismo absurdo, mas se trata estimular o ato de pensar. Esse foi um dos livros que mais me incomodaram por apresentar idéias que vão contra meu modo de interpretar a vida, mas ao mesmo tempo foi um dos que mais me fizeram pensar sobre decisões, a importância da infância e juventude, sobre nossa necessidade de querer sempre mais e nunca termos a sensação de saciedade por muito tempo: "O que é a vida senão um ciclo infinito de querer, satisfazer, entediar-se e querer de novo" 

Schopenhauer consegue, por meio de sua filosofia, nos fazer perceber que muitas vezes perdemos tanto tempo planejando o futuro, que esquecemos que a vida é o momento presente. Ele nos incentiva a viver o agora, ao invés de viver na esperança de um bom futuro. 

É, sem dúvida, uma obra que eu indico porque acredito que consegue cumprir sua missão de modo muito simples. 

Outras frases de Schopenhauer que me chamaram a atenção:

"É melhor não dizer nada do que ter um diálogo estéril e conversas com os bípedes...Quase todo o contato com os homens é uma contaminação, uma violação. Chegamos a um mundo habitado por uma classe de criaturas lastimáveis à qual não pertencemos. Devemos estimar e honrar os poucos que são melhores, nascemos para instruir o resto, não para nos associarmos a eles"

"O conhecimento é limitado. Só a estupidez é ilimitada"

"De repente, o homem, surpreso, se vê existindo após centenas e centenas de anos de não existência. Ele passa por um período, depois vem outro período igualmente longo que ele vai deixar de existir" 

"A relativa ideia de felicidade é o que se é, o que se tem e o que se é para os outros". Aqui Schopenhauer sugere que nos fixemos apenas no primeiro item, não no que se tem ou no que pensam de você, porque não podemos controlar essas coisas, elas podem e serão tiradas de nós, da mesma forma que o envelhecimento vai levando a beleza. 

"Possuir acaba nos possuindo"

"Herdei de meu pai a ansiedade que abomino e combato com todas as forças (...) Quando jovem, me torturava com doenças imaginárias (...)Na época em que estudava em Berlim achei que estava tuberculoso (...) Tinha pavor de ser obrigado a fazer o serviço militar (...) Saí de Nápoles por medo de varíola e de Berlim por medo de Cólera (...) Em Verona fiquei obcecado pela ideia de ter cheirado rapé envenenado. Em Manhum senti um medo enorme sem qualquer motivo concreto (...) Durante anos tive medo de cometer um crime (...) Se ouvia um ruído a noite, pulava da cama e pegava as pistolas, que estavam sempre carregadas (...) Sinto uma ansiedade que me faz ver perigos onde não há e isso aumenta qualquer aborrecimento e faz com que eu tenha enorme dificuldade em me comunicar com os outros..."

"Vista da juventude a vida é um longo futuro, a partir da velhice parece um curto passado" 
  
"A vida é um sofrimento eterno e o desejo é insaciável"

"Como somos obrigados a viver, temos que sofrer o menos possível" - frase de Parerga e Paralipomena, último livro de Schopenhauer que teve muito sucesso, após passar a vida mergulhado no anonimato.

"Consigo suportar a ideia de que poucas horas depois que eu morrer, os vermes comerão meu corpo, mas estremeço ao imaginar professores criticando minha filosofia"

"Se batermos nas lapides e perguntarmos aos mortos se querem voltar à vida, balançarão a cabeça, dizendo que não

Insiro duas outras frases citadas no livro, mas que não são de Schopenhauer

"É impossível sentirmos a realidade em qualquer sentido verdadeiro, porque todas as nossas percepções, nossas informações sensoriais são filtradas e processadas pelo mecanismo neuroanatômico" - KANT 

"A amizade é o ingrediente mais importante para uma vida feliz. Fazer uma refeição sem um amigo é viver como um leão ou um lobo"  - EPICURO
       

Conheça mais sobre o filósofo: 


17/10/2013

Jane Austen


Navegando pelos blogs que sigo, encontrei um site muito interessante desenvolvido pela diagramadora Raquel (http://janeausten.com.br/), que aborda vida e obras de Jane Austen, escritora inglesa (1775-1817). 

Para ser sincera, antes de vir morar na Itália não conhecia quase nada sobre ela, mas chegando aqui passei a ouvir falar com frequência de suas obras, conhecidas por representar a burguesia inglesa de 1800, priorizar características como educação, casamento da figura feminina, enfim por mostrar de modo romântico e crítico o cenário em que a sociedade inglesa vivia há 200 anos anos.  

Não vou escrever muito sobre Austen agora, pois antes quero pesquisar mais e ler meu primeiro livro dela "Orgulho e Preconceito", no entanto para quem quer conhecer mais sobre a autora, vale visitar o site acima.

Elenco as obras de Jane Austen:

Razão e Sentimento / Razão e Sensibilidade
Orgulho e Preconceito
Mansfield Park
Emma
A abadia de Northanger
Persuasão

Trailer do filme sobre a vida de Austen



16/10/2013

Quando Nietzsche Chorou

Personagens reais e ficção se unem no livro Quando Nietzsche Chorou, conquistando os leitores e trazendo, em uma linguagem acessível, os pensamentos de um dos maiores filósofos da humanidade


O livro de Irvin D. Yalom, "Quando Nietzsche Chorou" foi um dos melhores que já li. Embora eu não tenha nenhuma ligação com a filosofia e muito menos tenha conseguido ler obras filosóficas como "O mundo de Sofia" - que iniciei três vezes e abandonei - , esse não somente me conquistou, mas despertou o meu interesse pela filosofia e em especial por Nietzsche.

O livro é ambientado em Viena, no século XIX, quando estava para surgir a psicanalise freudiana. 

A história começa quando o psicanalista Doutor Josef Breuer recebe uma visita inesperada da atraente Lou Salomé, pedindo para que ele ajudasse a curar, por meio da conversa, 'o desespero suicida' de seu amigo Friedrich Nietzsche. Isto porque Salomé soube que Breuer havia curado uma paciente, Anna O' (Bertha), com sérios sintomas de histeria.

A princípio Breuer relutou, até começar a ler algumas partes de livros escritos por Nietzsche e perceber que para sua época, ele era um filosofo vanguardista. A primeira coisa a fazer era compreender as razões pelas quais Nietzsche estava sofrendo daquele problema. Salomé lhe explicou que ela era a culpada de todo o seu desespero, pois teria vivido com Nietzsche um breve triangulo amoro, o qual ele não estaria feliz. Ela era uma mulher muito independente e estava decidida a não assumir relacionamentos sérios, nem a ter filhos. Nietzsche se desiludiu e se afastou de tudo e de todos.   

Médico e paciente começaram, então, a se encontrar, mas aos poucos Breuer notou que para ajudar Nietzsche teria que se livrar primeiro de alguns fantasmas que o atormentavam. O único modo para fazer isto seria mergulhando em suas próprias misérias internas, eliminando de uma vez por todas a sua constante obsessão sexual por Bertha e decidindo se deveria acabar com seu casamento ou lutar para recuperar-lo.

Como Nietzsche não aceitava ajuda gratuita ou elogios de ninguém, pois acreditava que quem elogiava o fazia por uma questão de demonstração de poder sobre as outras, Breuer não somente decidiu aprender a lidar com o paciente, sem fazer muitos elogios, como propôs uma troca de tratamento: Nietzsche ajudaria Breuer a se curar de sua obsessão, por meio da filosofia, e ele o curaria através das técnicas de psicanalise, muitas vezes discutidas com o jovem estudante Sigmund Freud, quando este ainda estava buscando descobrir as causas dos sonhos. No livro Breuer era mentor de Freud e ambos mantinham encontros e discussões frequentes sobre a natureza humana. 

O desenrolar da história é muito interessante, pois além de trazer pensamentos imortais de Nietzsche, acaba unindo fatos reais com a ficção e apresenta encontros de personagens que foram fundamentais para a história. 



Super indico a leitura! Ainda não assisti o filme, mas segue o trailer para quem quiser conhecer um pouco mais.


Frases que me marcaram

"Aquilo que não me destrói me fortalece"
"Cada ato que você escolhe...terá que escolher para sempre"
"Consuma sua vida...morra na hora certa"


14/10/2013

Campanha Publicitária Fastweb

Anteriormente postei no blog a última campanha publicitária desenvolvida pela agência italiana M&C SAATCHI para uma empresa de seguros. Resolvi buscar outras publicidades interessantes e inovadoras e me dei conta de que a mesma agência fez uma campanha muito boa para a divulgação da Fastweb Itália (um provedor de fibra óptica), que tinha como objetivo mostrar a velocidade de navegação em fibra óptica.  

Veja o vídeo:




Trata-se de um trabalho que demorou aproximadamente seis meses para ser finalizado e que gerou o impacto desejado, principalmente nas pessoas que usaram a metropolitana naquele dia. Imagine-se indo para o trabalho e ao descer na estação de metrô habitua, encontrar-se em outro país, do outro lado do mundo. Japoneses por todos os lados, bancas de jornal, propagandas e tudo escrito em japonês. Seu cérebro demora uns segundos para compreender o que está acontecendo. Neste momento a publicidade atinge seu objetivo.  

Começando Bem

Abro meu e-mail hoje e recebo vídeos enviados pela minha irmã. Não poderiam ser melhores para fazer minha semana começar bem. Que maravilha é acordar e ver meu amor dando essas gargalhadas deliciosas! 


video
video
video

12/10/2013

Giorno dei Bimbi - Dia das Crianças 2013

Hoje é dia das crianças no Brasil. Desejo à todas as crianças, não somente às brasileiras, mas às do mundo inteiro, que tenham a oportunidade de serem crianças em todos os sentidos da palavra. Que possam brincar, estudar, comer, viver em paz em seus países e, principalmente, receber todo o carinho e base familiar necessários para fazer as pessoas felizes. Desejo à todas às crianças que vivam a infância sem pressa de crescerem, até porque terão a vida inteira para serem adultos e compreenderem o quanto é maravilhosa a inocência de uma criança.

Desejo, por fim, que todos os adultos continuem a ter seu lado criança e que nunca percam a magia, a alegria e a esperança que fazem de cada um de nós pessoas especiais. Um lindo dia à todas as crianças, aquelas que já chegaram e aquelas que estão para chegar, em especial ao meu sobrinho de seis meses, Nick, que mesmo distante fisicamente, amamos demais e ao nosso sobrinho ADOLESCENTE Gabriel que amamos tanto.

O futuro está nas mãos deles, que tenhamos a consciência de tratá-los como pessoas muito especiais.


-------------


Oggi è il giorno del bimbo in Brasile. Auguro a tutti i bimbi, non solo del Brasile, ma di tutto il mondo, che abbiano l’opportunità di essere bimbi in tutti i sensi della parola. Che possano giocare, studiare, mangiare, vivere in pace nei loro paesi e, principalmente, ricevere tutti gli affetti e base famigliare che sono necessarie per fare le persone felici. Auguro a tutti i bimbi che vivano la loro infanzia senza fretta di crescere, anche perché avranno tutta la vita per diventare adulti e capire il quanto è bello avere l’innocenza di un bimbo.

Auguro, infine, che tutti gli adulti continuino ad avere il loro lato bimbo e che non perdono mai a magia, l’allegria e la speranza che fanno di ognuno di noi persone molto speciali. Un bellissimo giorno a tutti i bimbi, quelli arrivati e quelli che stanno per arrivare, in speciale al mio nipotino di sei mesi che, anche se lontano, lo amo da morire e al nostro nipote adolescente Gabriel che amiamo tanto.

Il futuro è nelle loro mani, che possiamo avere la coscienza di trattarli come persone molto speciali.



05/10/2013

Submarino erra manobra e aparece no centro de Milão


No dia 1 de outubro, os habitantes da cidade de Milão levaram um susto ao se depararem com um submarino que apareceu bem no centro da cidade, entre a Via dei Mercanti e Piazza Cordusi. Quem estava passando nesta região na manhã de terça-feira encontrou um cenário trágico: chão quebrado, carro atingido, pessoas assustadas, fumaça proveniente do acidente e vários bombeiros trabalhando. 


O cenário ilógico - pois não teria como passar mar embaixo da cidade - convenceu muita gente por alguns segundos, por sua perfeição e detalhes. Essa foi a estratégia de marketing da agência italiana M&C SAATCHI para promover a campanha publicitária "Tudo Pode Acontecer", das companhias de seguros Europ Assistance e Genertel Itália. 

O objetivo foi o de mostrar que o perigo pode estar em qualquer lugar, mesmo em situações inimagináveis. Foi instalada, também, uma loja a alguns metros do submarino para que as pessoas pudessem entrar, se informar e em caso de interesse, se assegurar. 

Em poucas horas, a notícia foi foco em várias mídias online, eletrônicas e redes sociais. Virou puro marketing viral!

Eu achei a ideia muito boa, além de ter sido, sem dúvida, uma grande "sacada" da agência para mostrar que realmente tudo pode acontecer. O engraçado foi ver que muita gente no início não se questionou sobre como poderia aparecer um submarino em um lugar onde não existe mar.

Enfim, achei bacana registrar e compartilhar. Vejam as fotos abaixo e uma entrevista com os idealizadores da ação.





 


23/09/2013

A diferença está em ...

Gostaria de ter inspiração para escrever com mais frequência  mas diante da quantidade de informações que recebemos diariamente, muitas vezes, acabo entrando em stand by. Bem, eu particularmente nunca quis ser escritora. Meu desejo, quando menina, era de ser jornalista de campo, cobrir guerras, golpes de Estado, representar o lado fraco,  mas as coisas mudam. O bom de ser jovem são esses sonhos grandiosos de mudar o mundo. O jovem esbanja coragem para todos os lados, mas mais do que coragem, ele esbanja uma paixão imensurável por tudo o que acontece em sua volta. O jovem faz com que as coisas mais simples pareçam grandiosas, enquanto o adulto faz com que o grandioso pareça bem simples.

Claro que existem gerações e gerações, mas se considerarmos o TODO, são os jovens que podem definitivamente fazer a DIFERENÇA. 

É engraçado como com o passar do tempo, nossas paixões vão se acalmando e a coragem de querer mudar o mundo 'doa a quem doer', acaba sendo substituída por um forte sentimento de 'preciso tocar a vida, pensar no futuro'. Neste momento não se trata mais daquele futuro que estava em questão quando eramos jovens,  do futuro coletivo. Se trata de lutar pelo futuro do ser como individuo. A paixão enlouquecedora por causas, aos poucos, cede lugar à uma paixão com pouca essência  que passa a caber espaçosamente dentro do peito. Daí as coisas começam a perder sentido e o mundo a sua graça! 

Deveríamos ser eternamente jovens revolucionários, insatisfeitos e em busca de causas que pudessem mudar o mundo e não somente a vida de cada um de nós. Talvez, neste caso, viveríamos em uma realidade caótica, mas ao mesmo tempo chegaríamos mais rápido a um objetivo comum e teríamos um lugar muito melhor para viver.

Gradualmente vamos nos tornando políticos e sensatos. Só que as pessoas sensatas são CHATAS DEMAIS. Prefiro me tornar insana a ser totalmente sensata. Prefiro morrer por uma grande causa do que me tornar egoísta lutando somente por mim. Prefiro sofrer de paixão por tudo o que faço do que me tornar insensível diante de tudo. 

Mas é quase impossível não se influenciar por essa sociedade sensata, egoísta, medíocre e sem coragem para mudar efetivamente as coisas. Você acaba tendo que se adaptar a ela ou está fora do jogo. Hoje, quando penso no futuro, penso em nosso destino e no das pessoas mais próximas. Neste momento, passo a me preocupar com a rapidez com que tendo me tornado uma sensata seguidora de regras e me apavoro com a ideia de perder a coragem e de passar por AQUI sem ter feito nenhuma diferença!




12/09/2013

Descanse em paz Pai!

Gute,
Não consigo descrever o que estou sentindo, só tenho boas lembranças, bons momentos e agradecimentos a ti por tudo que fez por nos.
Saudades Eternas
Descanse em paz Pai!
Fique com Deus!


Marcelo Ritacco

"Ascensão

E se eu for embora
Enquanto você ainda estiver aqui...
Saiba que eu continuo a viver,
Vibrando com outra intensidade,
Atrás de um delicado véu que seu olhar,
Não pode atravessar.
Você não me verá:
Portanto você deve ter fé.
Eu esperarei o momento em que novamente
Poderemos nos liberar juntos num voo,
Ambos sabendo que o outro está ali ao lado.
Até lá, viva a vida em sua plenitude.
E quando você precisar de mim,
Sussurra meu nome em teu coração,
... E estarei ali. "

Colleen Corah Hitchcock

Até Logo Gute!


O dia de ontem marcou um momento muito triste em nossa vida. Perdemos uma pessoa muito especial: meu sogro Gute. Desde quinta-feira, quando ele teve um AVC hemorrágico, estávamos em muitos rezando para que ele saísse do coma e que tivesse o mínimo de sequelas possível. Em alguns momentos, mesmo em coma, ele reagiu e nos deu a esperança de que conseguiria superar essa dificuldade. Eu, particularmente, achei que se ele tivesse que nos deixar, não teria esperado uma semana. Tínhamos a certeza de que ficaria conosco e só pedíamos para que as sequelas fossem as menores e recuperáveis. Agora sei que talvez ele tenha esperado este tempo para tranquilizar um pouco cada coração e para que pudéssemos nos despedir, alguns em presença, outros em pensamento. Ele nos deu a oportunidade de nos "ligarmos" mais a ele durante todos os minutos da última semana e de termos que lidar com a possibilidade de sua partida.

É difícil pensar em não ver mais alguém que amamos e que nos é importante. Essa ausência provoca uma dor física que parece insuportável. Dói ver os filhos precisarem ser fortes perante uma situação como esta. Dói estar longe. Dói saber que de um modo ou de outro precisamos caminhar adiante.  

Poderia ser mais fácil aceitar a despedida, afinal nós nascemos sabendo que um dia todos iremos embora. No entanto, a gente cresce, trabalha, vive e nunca compreende que teremos que nos deparar com perdas. Dentro de nós sabemos que tudo continua, ou ao menos queremos que seja assim, mas acho que somos egoístas o suficiente para desejarmos ficar juntos aqui para sempre. 

Nos últimos dias pedimos muito pela saúde do Gute, mas Deus não quis que ele ficasse aqui sofrendo. Não seria nem justo que ele tivesse que permanecer em nosso mundo nestas circunstancias.  Ontem, com aquela dor que invadia os corações de todos abrimos o Evangelho aleatoriamente e a página dizia tudo o que precisamos aprender. Reescrevo aqui essas palavras, mas antes peço para Deus confortar o coração da Michele, do Marcelo, Vanessa, Gabriel, Elizete, dos outros filhos e de todos os amigos que hoje sentem a dor da perda. Peço para que o Papai do Céu o receba com muito carinho e que ele faça uma boa viagem. 

Perante à morte, as coisas da vida terrena perdem sentido. Perante a morte, as coisas da vida terrena ganham sentido! É confuso, somos muito pouco espiritualizados para aceitar. No final, todos temos pouco tempo para amar e dizer que amamos, para viver o que tem valor de verdade. Não dá mais para perder tempo! 

Ficam as lembranças, os momentos, o amor. Fica um Gute eterno na sua jovialidade, no seu humor, na sua sinceridade, na sua espontaneidade, em suas criações. Fica um Gute que passou por aqui e fez amizades por onde passou, que criou seus filhos com amor, honestidade e bondade. Fica um Gute que já deixa saudades.
   
Evangelho Segundo o Espiritismo - Allan Kardec
       7 – E a outro disse Jesus: Segue-me. E ele lhe disse: Senhor, permite-me que vá eu primeiro enterrar meu pai. E Jesus lhe respondeu: Deixa que os mortos enterrem os seus mortos, e tu vai e anuncia o Reino de Deus. (Lucas, IX: 59-60).
      8 – O que podem significar estas palavras: “Deixa que os mortos enterrem os seus mortos”? As considerações precedentes já nos mostraram, antes de tudo, que, na circunstância em que foram pronunciadas, não podiam exprimir uma censura àquele que considerava um dever de piedade filial ir sepultar o pai. Mas elas encerram um sentido mais profundo, que só um conhecimento mais completo da vida espiritual pode fazer compreender.
      A vida espiritual é, realmente, a verdadeira vida, a vida normal do Espírito. Sua existência terrena é transitória e passageira, uma espécie de morte, se comparada ao esplendor e à atividade da vida espiritual. O corpo: é uma vestimenta grosseira, que envolve temporariamente o Espírito, verdadeira cadeia que o prende à gleba terrena, e da qual ele se sente feliz em libertar-se. O respeito que temos pelos mortos não se refere à matéria, mas, através da lembrança, ao Espírito ausente. É semelhante ao que temos pelos objetos que lhe pertenceram, que ele tocou em vida, e que guardamos como relíquias. Era isso que aquele homem não podia compreender por si mesmo. Jesus lho ensinou; dizendo: Não vos inquieteis com o corpo, mas pensai antes no Espírito; ide pregar o Reino de Deus: ide dizer aos homens que a sua pátria não se concentra na Terra, mas no Céu, porque somente lá é que se vive a verdadeira vida.

08/09/2013

Lago D'orta - lugar que transmite uma paz imensurável, onde você consegue sentir a presença dELE por todos os lugares

Ontem estava triste pois uma pessoa muito importante em nossas vidas está em estado muito grave. Em minha oração abri o Evangelho Segundo o Espiritismo de Alan Kardec e apareceu uma lição muito bonita, que nos diz para valorizar cada um de nossos momentos. Abaixo escrevo um dos trechos que foram mais significativos e que serve para cada um de nó, que acreditamos ser invencíveis.

Livro Evangelho Segundo Espiritismo - Instrução dos Espíritos "Os últimos serão os primeiros" (pag. 252 e 253) 

"Todos viestes chamados, uns mais cedo, outros mais tarde, para a encarnação cujos grilhões carregais. Mas a quantos e quantos séculos o senhor vos chamava para a sua vinha, sem que aceitásseis o convite? Eis chegado, agora, o momento de receber o salário. Empregai bem a hora que vos resta. Não vos esqueçais de que a vossa existência, por mais longa que vos pareça, não é mais do que um momento muito breve, na imensidade dos tempos que constituem para vós a eternidade..." 

----- 
Enfim não somos eternos e por isso esse é o momento de viver e amar como se fosse realmente a última vez. Visite as pessoas importantes para você, faça o impossível para que vocês vivam bem e diga que você as ama!

05/09/2013

Alegria do Meu Dia

Se o dia está duro, ligo para minha irmã e vejo o bebê mais lindo do mundo!

Se ela não atende, venho aqui e fico olhando para ele, viajando num amor incondicional e por hora não correspondido!










O Primeiro Passaporte a Gente Nunca Esquece!


Acho que todos nós temos uma caixinha escondida em algum lugar, onde guardamos documentos, cartões postais, cartões de aniversários e outros objetos que foram muito significativos em algum momento de nossas vidas. 

Na semana passada dei uma revisada geral no que realmente era importante, pois notei que a minha caixa, já não era mais uma caixinha. Lá, encontrei tanta lembrança deliciosa de pessoas especiais e momentos inesquecíveis. Encontrei cartas que meu avô me enviava quando eu sequer sabia ler direito, recuperei os primeiros postais enviados pelos meus pais quando eu tinha apenas 12 anos, revi fotos de um tempo muito diferente do que vivemos hoje. Senti saudade! Muita saudade!

Um dos objetos especiais e que, com certeza, será inserido no scrapbook que estou pensando em criar, sobre nossa vida na Europa, será uma carta que foi entregue para mim em março de 2012 (mês em que fiz a entrevista na Polícia para a aquisição da cidadania). A carta não era oficial, nem elaborada pelo Comissariato del Governo, até porque a entrevista significava somente mais um passo para a aquisição da tão esperada cidadania italiana, que viria a chegar mais de um anos depois. No entanto, essa carta representava muito, pois era a demonstração de carinho e de que eu estava rodeada por pessoas que torciam pelo meu sucesso e pela realização de mais esta conquista. Ela foi feita por pessoas que na época eram meus colegas de trabalho, em um momento em que praticamente vivíamos como uma família dentro do ambiente empresarial. Hoje, somos todos amigos, alguns estão longe, outros perto, alguns estão em contato constante, outros se comunicam bem pouco, mas isto não importa, porque eu sei que o sentimento de querer bem era e é real e sincero. 




Vivemos uma breve história de dois anos, mas que foi repleta de conquista para cada um de nós: Giada, Giovanni, Neusa e Jadir. Como em qualquer relacionamento existiram controvérsias, é verdade, mas se dentro de uma família, onde as pessoas cresceram juntas, com os mesmos valores, existem diferenças de opinião, é óbvio que fora de casa sempre existirão alguns desacordos. O importante é que com cada experiência  a gente aprenda a se respeitar, a trabalhar em equipe para obter sucesso e a superar obstáculos. Depois de um tempo, você percebe que a empresa era só mais um meio de ganhar dinheiro, experiência, mas acima de tudo de fazer contatos que podem ser importantes para sempre. Isto depende de cada um de nós! 

Sou muito feliz por ter compartilhado esses dois anos com pessoas de caráter inquestionável. Hoje, olho para cada mensagem escrita por vocês no meu primeiro passaporte e sinto muita vontade de que aquele tempo não tivesse passado.   





16/08/2013

Montespluga - Splugen - Madesimo

Em uma das postagens anteriores, escrevi sobre nosso primeiro final de semana nas montanhas (em 2013). Até pensei em contar sobre ambos os passeios pelos alpes no mesmo post, mas avaliei melhor e achei que definitivamente cada lugar merecia uma história separada. 

Desta vez o cenário de destaque é o Lago de Montespluga, que fica ha 145 quilômetros de Milão, ou seja, a 2 horas e 10 minutos daqui. Localizado em Val Chiavenna, ha 1900 metros acima do nível do mar, na província de Sondrio, o Lago com sua água azul e límpida, vem acompanhado de paisagens difíceis de descrever. É uma mistura de rochas e pedras que substituem a areia. No meio dessa natureza rústica e bucólica surgem flores brancas, cor de rosa, roxas, azuis e amarelas que transformam a paisagem em uma verdadeira obra de arte. Exatamente, você está ali no centro de tudo e se sente dentro de um quatro pintado com tinta óleo da melhor qualidade, com a diferença de que você lá dentro e de que você é somente mais um coadjuvante fazendo parte de toda essa imensidão. É ali que você consegue sentir Deus e é ali que você tem a certeza de Sua existência.












Mas, voltando ao passeio: quem vai de carro, tem a opção de passar pelo lago e continuar na única estrada que leva até Splugen, na Suiça. Se você passar pela fronteira, estará ha 2100 metros acima do nível do mar.






Já ali é possível perceber que as arquiteturas das casas são completamente diferentes, bem mais parecidas com a arquitetura alemã. 






Além disso, em Splugen a temperatura é bem inferior. Enquanto em Milão estava fazendo 40 graus, ali a temperatura marcava 17. As estradas também são bem diferentes das italianas e, por incrível que pareça, desta vez os suíços deixaram a desejar. As estradas italianas eram mais cuidadas e seguras. As suíças tinham poucas grades de proteção, mas mesmo assim vale a pena chegar em Splugen, pois é belíssima, tratada como se fosse uma casa de boneca, cheia de detalhes por todos os lados. Sua cachoeira transparente, juntamente com todo aquele cenário enriquecem seus olhos e seu coração. Palavras não são capazes de transmitir a magia deste lugar. 









Alguns conselhos importantes para quem optar por conhecer essa maravilha são: em primeiro lugar, leve blusa, caso contrário não poderá ficar muito tempo fora do carro e nem ao menos fazer as inúmeras trilhas que existem por ali. Em segundo lugar, leve uma mochila térmica com alguns comes e bebes e se jogue na natureza. Curta muito, pois mesmo que você fique somente um dia, voltará para casa de alma renovada. 

Nós levamos lanche, um bom vinho, água, caminhamos na lama, superamos a água gélida para conseguirmos ficar próximo ao lago e adormecermos lá no meio do nada, ouvindo o melhor rumor que se pode ouvir...

No final da tarde vale a pena passar na cidade Madesimo para um delicioso jantar com as gastronomias locais.  Experimentamos um prato tradicional "Pizzocheri della Valtelina" e um bom vinho. Madesimo fica bem próximo ao Montespluga e também possui características únicas. Inclusive, quem pretende passar o final de semana naquela região, pode escolher Madesimo como meta turística, pois o que não falta por ali são hotéis.  


Lago Azul










Embora passamos por lá no verão, é no inverno que a cidade atrai mais turistas por ser muito famosa pela prática de esportes invernais.   

Uma das coisas mais me marcaram em Madesimo e concluo este post com uma foto que representa o que quero dizer, foi a imagem abaixo em frente ao cemitério da cidade. Geralmente cemitérios me transmitem tristeza e saudade, mas quando você está diante de algo lindo como essa imagem, a tristeza perde espaço: 


Tradução:

"Ascensão

E se eu for embora
Enquanto você ainda estiver aqui...
Saiba que eu continuo a viver, 
Vibrando com outra intensidade,
Atrás de um delicado véu que seu olhar, 
Não pode atravessar.
Você não me verá:
Portanto você deve ter fé.
Eu esperarei o momento em que novamente
Poderemos nos liberar juntos num voo, 
Ambos sabendo que o outro está ali ao lado.
Até lá, viva a vida em sua plenitude.
E quando você precisar de mim, 
Sussurra meu nome em teu coração, 
... E estarei ali. "

Colleen Corah Hitchcock