16/08/2013

Montespluga - Splugen - Madesimo

Em uma das postagens anteriores, escrevi sobre nosso primeiro final de semana nas montanhas (em 2013). Até pensei em contar sobre ambos os passeios pelos alpes no mesmo post, mas avaliei melhor e achei que definitivamente cada lugar merecia uma história separada. 

Desta vez o cenário de destaque é o Lago de Montespluga, que fica ha 145 quilômetros de Milão, ou seja, a 2 horas e 10 minutos daqui. Localizado em Val Chiavenna, ha 1900 metros acima do nível do mar, na província de Sondrio, o Lago com sua água azul e límpida, vem acompanhado de paisagens difíceis de descrever. É uma mistura de rochas e pedras que substituem a areia. No meio dessa natureza rústica e bucólica surgem flores brancas, cor de rosa, roxas, azuis e amarelas que transformam a paisagem em uma verdadeira obra de arte. Exatamente, você está ali no centro de tudo e se sente dentro de um quatro pintado com tinta óleo da melhor qualidade, com a diferença de que você lá dentro e de que você é somente mais um coadjuvante fazendo parte de toda essa imensidão. É ali que você consegue sentir Deus e é ali que você tem a certeza de Sua existência.












Mas, voltando ao passeio: quem vai de carro, tem a opção de passar pelo lago e continuar na única estrada que leva até Splugen, na Suiça. Se você passar pela fronteira, estará ha 2100 metros acima do nível do mar.






Já ali é possível perceber que as arquiteturas das casas são completamente diferentes, bem mais parecidas com a arquitetura alemã. 






Além disso, em Splugen a temperatura é bem inferior. Enquanto em Milão estava fazendo 40 graus, ali a temperatura marcava 17. As estradas também são bem diferentes das italianas e, por incrível que pareça, desta vez os suíços deixaram a desejar. As estradas italianas eram mais cuidadas e seguras. As suíças tinham poucas grades de proteção, mas mesmo assim vale a pena chegar em Splugen, pois é belíssima, tratada como se fosse uma casa de boneca, cheia de detalhes por todos os lados. Sua cachoeira transparente, juntamente com todo aquele cenário enriquecem seus olhos e seu coração. Palavras não são capazes de transmitir a magia deste lugar. 









Alguns conselhos importantes para quem optar por conhecer essa maravilha são: em primeiro lugar, leve blusa, caso contrário não poderá ficar muito tempo fora do carro e nem ao menos fazer as inúmeras trilhas que existem por ali. Em segundo lugar, leve uma mochila térmica com alguns comes e bebes e se jogue na natureza. Curta muito, pois mesmo que você fique somente um dia, voltará para casa de alma renovada. 

Nós levamos lanche, um bom vinho, água, caminhamos na lama, superamos a água gélida para conseguirmos ficar próximo ao lago e adormecermos lá no meio do nada, ouvindo o melhor rumor que se pode ouvir...

No final da tarde vale a pena passar na cidade Madesimo para um delicioso jantar com as gastronomias locais.  Experimentamos um prato tradicional "Pizzocheri della Valtelina" e um bom vinho. Madesimo fica bem próximo ao Montespluga e também possui características únicas. Inclusive, quem pretende passar o final de semana naquela região, pode escolher Madesimo como meta turística, pois o que não falta por ali são hotéis.  


Lago Azul










Embora passamos por lá no verão, é no inverno que a cidade atrai mais turistas por ser muito famosa pela prática de esportes invernais.   

Uma das coisas mais me marcaram em Madesimo e concluo este post com uma foto que representa o que quero dizer, foi a imagem abaixo em frente ao cemitério da cidade. Geralmente cemitérios me transmitem tristeza e saudade, mas quando você está diante de algo lindo como essa imagem, a tristeza perde espaço: 


Tradução:

"Ascensão

E se eu for embora
Enquanto você ainda estiver aqui...
Saiba que eu continuo a viver, 
Vibrando com outra intensidade,
Atrás de um delicado véu que seu olhar, 
Não pode atravessar.
Você não me verá:
Portanto você deve ter fé.
Eu esperarei o momento em que novamente
Poderemos nos liberar juntos num voo, 
Ambos sabendo que o outro está ali ao lado.
Até lá, viva a vida em sua plenitude.
E quando você precisar de mim, 
Sussurra meu nome em teu coração, 
... E estarei ali. "

Colleen Corah Hitchcock



14/08/2013

Filme Agora é para Sempre

Ontem assisti "Now is Good" (em português chama-se Agora é para Sempre), um filme de 2012 de OI Parker, baseado no romance "Quero Viver Antes de Morrer", de Jenny Downham. 

A história, girada no Reino Unido, retrata a vida de Tessa, uma adolescente de 16 anos com leucemia. A garota, que fazia fortes tratamentos de quimioterapia, decide interromper o tratamento por acreditar que ele estaria somente prolongando sua despedida e fazendo com que sua família sofresse ainda mais. Desta forma, ela resolve aproveitar todo o tempo que ainda lhe resta, fazendo tudo aquilo que tem vontade. Ela cria então uma lista que inclui 10 desejos como fazer amor, se drogar, se apaixonar, entre outros. Esta sempre acompanhada por sua família, em especial por seu pai que chega a abandonar o trabalho para poder cuidar dela.

Em pouco tempo Tessa e Adam, um garoto que mora na vizinhança, se apaixonam. Eles passam a compartilhar momentos e assumem um relacionamento, mesmo sabendo que provavelmente ele irá se machucar e que seu tempo está cada vez mais curto. 

O filme mostra uma triste realidade vivida por inúmeras famílias. "Now is Good", sem dúvida, comove quem assiste, pois faz com que todos os nossos valores sejam reavaliados e repensados.

Será que eu estou vivendo da melhor forma a vida? Será que estou valorizando o que tem realmente sentido, já que um dia tudo acabará? Será que eu me preocupo mais com o status e dinheiro do que com viver? Que uso meu dia a dia com argumentos e atitudes fúteis e supérfluas para mostrar aos outros uma imagem? Quanta gente passa a vida desta maneira e nem percebe que amanhã toda a hipocrisia não fará a mínima diferença. No fundo no fundo, ninguém se importa se você tem dinheiro ou status. Você também não deveria, pois isso é passageiro! Fato! 

Será que estou amando minha família, perdoando e vivendo como se fosse a última vez? Que passo a maior parte da vida com um sentimento de nostalgia do passado e pensando em estratégias para o futuro? Claro que precisamos pensar no futuro, mas a vida está acontecendo ...AGORA!

Eu não sou de chorar em filme, mas neste eu chorei!

"A vida é feita de uma série de momentos, cada um, uma jornada para o fim...Desapegue-se" 



13/08/2013

Imersos na Poesia

Nos últimos finais de semana o calor tem sido intenso. Alguns dias chegaram a superar 40 graus, sem nenhum vento, o que eles chamam de clima úmido e "afoso". Digamos que no nosso bom português, de úmido estes dias não tiveram nada, pelo contrário, o ar estava muito seco e parecia que faltava ar na cidade. Foi exatamente por isso e com muita tristeza no coração que decidimos preparar a moto para escolher o próximo destino: praia o montanha? 

Piani Resinelli



Desta vez resolvemos ir às alturas e curtir um pouco a natureza, a fauna e a flora que somente alguns lugares podem te proporcionar. No primeiro final de semana fomos para Piani Resinelli, que fica a 73 quilômetros de Milão, aproximadamente 1h20 de moto ou carro. Piani Resinelli se estende pelas cidades de Abbadia Lariana, Mandello del Lario, Ballabio e Lecco. O lugar é belíssimo e sua localização permite fazer vários passeios e trilhas inesquecíveis, algumas mais simples, outras mais complexas e que precisam ser feitas com grupos turísticos, porque existem várias zonas de risco. É um local frequentado por muitos alpinistas e é famoso por apresentar trilhas de alto grau de dificuldade. 

Sabendo que os hotéis e restaurantes ficavam distante das trilhas, preparamos uma mochila térmica com água, lanches, frutas e, é claro, a cervejinha do Ritacco. Pé na estrada! A nossa trilha foi mais simples, 14 quilômetros (ida e volta), quase sempre na sombra, com um ar fresco, entre bosques, flores, cores e presenciando paisagens impossíveis de um dia esquecer.





Do Alto da Montanha, vista para o Lago de Lecco
O lugar transmite pura tranquilidade: os únicos barulhos que se ouve e as únicas visitas que se recebe são aquelas enviadas diretamente pela natureza. Nós resolvemos sair um pouco da trilha, deitamos na grama para curtir a poesia na qual estávamos imersos, o ruído da solidão e veja as visitas que recebemos.









 



Quem não conhece a cidade de Lecco também pode chegar de manhã bem cedo, fazer uma caminhada no lago e em seguida ir para a montanha, que fica somente a 30 minutos dali. Vale a pena o passeio!

Fica a dica!


08/08/2013

Verão: Vez da Praia

Na sexta-feira, 26/07, os termômetros marcavam quase 36 graus em Milão e a previsão do tempo avisava que no final de semana a temperatura chegaria aos 40 graus. Quem conhece Milão sabe que é praticamente impossível ficar na cidade em um clima como este, sem vento e sem sombras.  Não reclamo, pois no calor temos muitas opções de diversão em parques aquáticos, montanhas e praias, e a chegada da sexta-feira sempre acaba prometendo bons momentos. 

Desta vez nosso destino foi a praia, pois não víamos o mar desde setembro passado. Traçamos um roteiro que nos permitia conhecer outras cidades e praias e que ao mesmo tempo não ficava muito distante de Milão.

Preparamos a moto e saímos no sábado às 7 da manhã. Fomos direto para a cidade de Lerici, em La Spezia, ha 228 km de Milão. Nesta praia tinha areia, coisa rara por aqui, uma vez que a maioria das praias são de pedras. Gostamos bastante de Lerici porque o clima era familiar, a praia espaçosa e tinha muito espaço público. Para quem não sabe, na Itália existem as praias públicas e as particulares, que você paga para entrar e passar o dia. Na maioria dos casos existem ambas as opções na mesma praia, no entanto já estivemos em várias que é quase impossível passar ficar muito tempo, porque fica lotado, sem espaço para colocar até a esteira/toalha. 

Praia de Lerici

Estacionamento de carrinhos de bebe.
Não existia nenhum sistema de segurança e mesmo assim nenhum foi roubado! 
De noite fomos para um camping (La Sfinge), em Deiva Marina, onde sempre ficamos hospedados pois é muito bem estruturado, limpo, tem barracas prontas com cama, mercado dentro caso você queira comprar pão, frios, água ect. Custa somente 15 euros por pessoa. No caminho paramos para comer uma comidinha típica.





No dia seguinte, nosso destino foi Portofino. A princípio admito que é um lugar muito bonito pela riqueza do local, por seus hotéis belíssimos, no entanto não é o tipo de beleza pela qual somos apaixonados. Pegamos a moto e fomos em busca de algo mais rústico e natura. Andamos um pouco até chegarmos a uma pequena praia, bem natural e com pouca gente, onde resolvemos ficar até a hora de ir embora. 


Centro de Portofino


Estrada para chegar na Praia 


Praia quase particular em Portofino

Mar incrível

Este foi um final de semana delicioso, não gastamos muito e nem precisamos de mais do que dois dias.

Faça você também!


Informação:
A reserva no La Sfinge pode ser feita por site http://www.campeggiolasfinge.it/ ou no site do Hostel World http://www.italian.hostelworld.com/