23/09/2013

A diferença está em ...

Gostaria de ter inspiração para escrever com mais frequência  mas diante da quantidade de informações que recebemos diariamente, muitas vezes, acabo entrando em stand by. Bem, eu particularmente nunca quis ser escritora. Meu desejo, quando menina, era de ser jornalista de campo, cobrir guerras, golpes de Estado, representar o lado fraco,  mas as coisas mudam. O bom de ser jovem são esses sonhos grandiosos de mudar o mundo. O jovem esbanja coragem para todos os lados, mas mais do que coragem, ele esbanja uma paixão imensurável por tudo o que acontece em sua volta. O jovem faz com que as coisas mais simples pareçam grandiosas, enquanto o adulto faz com que o grandioso pareça bem simples.

Claro que existem gerações e gerações, mas se considerarmos o TODO, são os jovens que podem definitivamente fazer a DIFERENÇA. 

É engraçado como com o passar do tempo, nossas paixões vão se acalmando e a coragem de querer mudar o mundo 'doa a quem doer', acaba sendo substituída por um forte sentimento de 'preciso tocar a vida, pensar no futuro'. Neste momento não se trata mais daquele futuro que estava em questão quando eramos jovens,  do futuro coletivo. Se trata de lutar pelo futuro do ser como individuo. A paixão enlouquecedora por causas, aos poucos, cede lugar à uma paixão com pouca essência  que passa a caber espaçosamente dentro do peito. Daí as coisas começam a perder sentido e o mundo a sua graça! 

Deveríamos ser eternamente jovens revolucionários, insatisfeitos e em busca de causas que pudessem mudar o mundo e não somente a vida de cada um de nós. Talvez, neste caso, viveríamos em uma realidade caótica, mas ao mesmo tempo chegaríamos mais rápido a um objetivo comum e teríamos um lugar muito melhor para viver.

Gradualmente vamos nos tornando políticos e sensatos. Só que as pessoas sensatas são CHATAS DEMAIS. Prefiro me tornar insana a ser totalmente sensata. Prefiro morrer por uma grande causa do que me tornar egoísta lutando somente por mim. Prefiro sofrer de paixão por tudo o que faço do que me tornar insensível diante de tudo. 

Mas é quase impossível não se influenciar por essa sociedade sensata, egoísta, medíocre e sem coragem para mudar efetivamente as coisas. Você acaba tendo que se adaptar a ela ou está fora do jogo. Hoje, quando penso no futuro, penso em nosso destino e no das pessoas mais próximas. Neste momento, passo a me preocupar com a rapidez com que tendo me tornado uma sensata seguidora de regras e me apavoro com a ideia de perder a coragem e de passar por AQUI sem ter feito nenhuma diferença!




Nenhum comentário: