31/07/2015

Chegada do Matteo - 15 de Abril de 2015

E finalmente voltei para escrever sobre o dia mais importante de nossas vidas, o dia em que recebemos nosso maior presente, 15 de abril de 2015. A correria do dia-a-dia parece ser sempre minha desculpa por não escrever com frequência, mas não é. O fato de estarmos sozinhos por aqui, faz com que fiquemos muito sobrecarregados de tarefas, mas vamos ao que interessa. 

A data prevista para o nascimento do Matteo era 05 de abril, mas os médicos trabalhavam com um 'largo' espaço de tempo. Ele poderia nascer entre 20 de março e 15 de abril. Os dias passaram e como ele não chegava, os médicos agendaram uma indução para o dia 15 às 8h30. Eu, mega ansiosa e com medo da experiência do parto, nem conversava direito. Embora a indução estivesse agendada, nosso pequeno resolveu não esperar. Comecei meu trabalho de parto as 4h30 da manhã. Eu sabia que o trabalho de parto era dolorido, mas nunca imaginei que fosse essa loucura. Me lembro de ter olhado com muita raiva para o Marcelo na sala de parto e ter dito "Nunca Mais". Após 9 horas de trabalho, ocorreu um imprevisto e os médicos acabaram fazendo uma cesariana de urgência, com anestesia geral. Para quem não sabe, na Itália é bem difícil programar cesária. Eles só fazem em último caso.  

Enfim, o parto não foi como eu esperava ou imaginava. Eu, que havia lido livros sobre respiração e parto normal e havia assistido várias palestras com especialistas, imaginava um parto de cinema ou de novela. Diferente do que 'me venderam' no próprio hospital, graças à cesária com anestesia geral, eu não pude ficar com o bebê e o Marcelo por duas horas após o nascimento, então só fui conhecer o pequeno no final do dia (ele nasceu as 13h44). Enfim, demorou mas, quando o vi meu coração disparou. Eu custava a entender que aquele serzinho inocente e pequeno estava dentro de mim horas antes. Foi emocionante demais, assim como é emocionante lembrar da chegada dele até hoje, três meses e meio depois. Era o momento mais especial de nossas vidas, poder trazer ao mundo uma vida saudável e linda. Detalhe que Matteo nasceu no mesmo dia que meu sobrinho de dois aninhos Nick. Ele decidiu nascer na data do priminho. 

Eu não sabia nada sobre bebês, não sabia sequer trocar uma fralda, pegar no colo e dar banho. Ao mesmo tempo que senti toda aquela emoção, aquele amor, morri de medo de não conseguir ser uma boa mãe, de não dar conta do recado. 

Como eu não podia levantar da cama devido à cirurgia e anestesia, o Marcelo se encarregou de ir ao berçário aprender tudo, trocar o piccolino e depois me ensinar. Sim, foi ele e minha mãe que me ensinaram as primeiras coisas sobre um bebê. O restante estou aprendendo no dia-a-dia. 

Nao vou negar que o primeiro mês foi muito estressante, primeiro porque eu sentia muita dor nos pontos, segundo porque não sabíamos absolutamente nada sobre ser pais. Matteo acordava várias vezes e chorava muito de cólica. No início ele também sentia muita fome, mas não aceitava mamar no peito, pois durante o período em que estive no hospital não foi possível amamentar. Ao chegar em casa, com muita paciência e ajuda do Marcelo e da minha mãe, conseguimos fazê-lo pegar o peito. Hoje é um comilão. 

Matteo você é mais do que bem vindo em nossas vidas. 

E nós  aqui descobrindo um novo modo de amar incondicionalmente.

Abaixo o primeiro vídeo, gravado 15 minutos após o nascimento.