16/05/2017

15 de Maio - Radicalizando

Recentemente tenho me visto em situações que tem me feito pensar em como as pessoas parecem nunca estar satisfeitas. Por mais que você se dedique e de o teu máximo, parece ser sempre insuficiente.  

Ontem meu marido me disse que estou me tornando radical, por não aceitar mais alguns tipos de comentários e brincadeiras (sem graça e fora de hora, diga-se de passagem). Na verdade eu sempre fui um pouco estressada e intolerante (admito), com a diferença de que antigamente eu fazia muita questa o de manter amizades e colegas. Mesmo que eles tivessem as piores atitudes, eu tentava sempre remediar e aceitar. 

Hoje eu só faço questão do que realmente è sincero e verdadeiro. Nao dou mais chance para relacionamentos “meia boca”, construídos em pilares de interesses, sejam eles quais forem.

Então senhor meu marido Marcelo Ritacco, talvez eu não tenha mais a opinião de 20 anos atrás (menos mal, eu diria), mas os assuntos aos quais você se referiu em nossa conversa de ontem, não foram bem interpretados ontem e também não seria mesmo daqui ha 20 anos.

Talvez eu antigamente achasse algumas coisas OK, provavelmente eu também brincasse com elas, mas os anos passaram e eu mudei, assim como o mundo todo. Nao enxergo como negativo a mudança, nem ao menos acho que tenha que aceitar algumas coisas sò para não incomodar o mundo. Uma coisa eu sempre fui…. SINCERA e TRANSPARENTE.

Também não vejo isso como negativo. Acho que todos somos adultos o suficiente e temos o bom senso para entendermos quais são os limites que podemos atingir com as pessoas.

Eu não tenho que me sentir mal porque não concordo com brincadeiras de mal gosto. As vezes basta se colocar no lugar da outra pessoa para compreender. Isso demora somente alguns segundos. Pode me chamar de radical se preferir, pode usar o nome que achar mais adapto, mas antes de mais nada acho que vale respeitar o fato de que eu não tenho que gostar de algo ou achar normal sò porque os outros acham. Sim, é um desabafo.

Basta cada um pensar antes de agir e tudo fica mais fácil.

Mas se preferir pode me chamar de radical e inflexível.

Nenhum comentário: