31/10/2017

Domingo de outono no Adda



Ontem (29/10) acordamos e decidimos dar uma volta de bicicleta, coisa que eu não fazia há muito tempo, mesmo sendo o ciclismo um dos meus esportes preferidos.

Antes de o Matteo nascer, eu andava de bicicleta ao menos três vezes por semana e no verão ela era a minha melhor amiga de casa para o trabalho e vice e versa. Bons tempos esses, em que para me exercitar bastava uma bike e um pouco de boa vontade.

E' verdade que andar em Milão é muito mais fácil do que onde moramos hoje, pois é tudo uma reta sò. Ja a província de Bergamo é cheia de subidas ou na melhor das hipóteses colinas que não permitem às suas pernas nem um breve descanso. Além disso, devo admitir que me tornei uma pessoa meio cansada. Sò que ontem a preguiça foi vencida pela vontade de passear pela ciclovia que temos perto de casa. Estamos morando em Calusco ha pouco mais de um ano e até ontem eu não havia feito um belo passeio de bike. Aquele era o dia perfeito para isso: sol, sem vento, boa temperatura, enfim, tudo indicava que seria uma ótima decisão... e foi. 

Parecia uma manha de primavera e como Marcelo me disse que a caminhada era fácil,  nos vestimos e partimos.

Suei, mas suei muito mesmo. Foram horas de pedaladas nem tao leves como ele havia dito, ainda mais para quem leva uma vida sedentária ha três anos. Mas o passeio e as paisagens valeram a pena.

As paisagens eram demais! O lugar incrível! Era impossível andar mais do que cinco minutos sem parar para admirar e fotografar. Olhando ao redor eu me sentia em um cenário de um filme, numa pintura de um quadro.

Ciclovia em Calusco d'Adda
O passeio nos reservou varias surpresas interessantes como encontrarmos uma mini biblioteca no meio da ciclovia, num lugar onde tinha vários banquinhos ao ar livre.

A placa dizia "Tem um livro na Arvore. Pare, leia e se quiser leve o livro e deixe um no lugar".
Achei simplesmente sensacional, pois essa iniciativa permite a troca e reciclagem de livros, além de te dar a possibilidade de ler no silencio, em meio à natureza e ao som dos pássaros.




Continuando pela estrada encontramos o "Traghetto di Leonardo Da Vinci", um barco a mão, que funciona até hoje com a força da água e que liga Imbersago (Lecco) a Villa D'Adda (Bergamo).

Ainda hoje o barco è usado, mas obviamente com foco turístico. O barco tem capacidade para levar 100 pessoas e cinco automóveis. 


O mais bacana de tudo é que esse é um passeio que da para fazer em qualquer época, não custa nada e é cheio de aventuras. Em meio a toda aquela magia: água cristalina, cavalos, pássaros, natureza, bikes e livros, Matteo relaxou tanto que tirou uma soneca.



Para concluir esse post, garanto que esse passeio embora breve é capaz de recarregar as energias.

PS: ainda não sinto os músculos da perna :)



Nenhum comentário: