08/01/2018

Retrospectiva 2017

Mais uma retrospectiva (estava quase pronta desde o dia 31/12, mas logicamente eu publicaria atrasado).

2017 foi um ano de calmaria em relação a 2016, quando tivemos acontecimentos intensos: casa nova, escolinha nova, rotina toda nova. Ja 2017 foi um ano de adaptação, de buscar a estabilidade e definir uma rotina que tornasse viável e saudável nossa vida.

Foi também o ano em que finalmente recebemos a visita de minhas cunhadas e meu sobrinho, em que fizemos lindas e relaxantes férias com eles.  Fazia tempo que não os curtíamos eles com mais tempo, ja que é sempre tudo corrido quando vamos ao Brasil.




Tendo sido um ano de adaptação, tivemos momentos em que a rotina parecia que iria nos sufocar, eu particularmente senti algumas vezes a sensação de que iria explodir. Rotina é umas das coisas mais perigosas, que se não for bem trabalhada, pode te deixar desmotivado e desequilibrado.

Os últimos meses foram um pouco chatos, em razão de alguns acontecimentos inesperados:

O primeiro fato que me chateou foi uma batida em meu carro feita por um caminhão daqueles grandes, que destruiu o lado do motorista. Eu não estava presente mas um morador viu tudo, fez fotos e pediu para o motorista voltar e deixar os contatos. Apesar de todas as provas que tínhamos a seguradora do motorista do caminhão polonês não reconheceu o acidente e negou o reembolso de um dano de 3.400,00 euros. A principio fiquei bem chateada, mas depois digeri a informação e compreendi que era somente material.  Tres meses apòs a seguradora negar o reembolso, recebi uma ligação surpresa da seguradora informando que nos pagariam o dano no dia seguinte. Super presente de natal e que prova que não vale a pena se irritar por situações como essa.

A segunda situação e essa me deixou realmente triste foi descobrir que sou portadora de uma doença rara nos meus dois olhos. Ha uns 15 anos eu havia ido ao medico e ele, jovem demais, havia dito que eu tinha uma doença rara nas córneas que poderiam me deixar cega. Ele não havia feito nenhum exame mais especifico, somente os exames clássicos,  por isso fui em outros dois oftalmos para segunda opinião e eles me disseram que se tratava de uma simples miopia e astigmatismo. Eles estavam errados.

Como esse ano (2017) comecei a sentir dores fortíssimas nos olhos e muita dificuldade para enxergar achei que fosse somente a necessidade de trocar os óculos. Me lembro de chegar a apertar os olhos de tanto incomodo para ver melhor e esse provavelmente tenha sido um grande veneno que piorou ainda mais meus problemas. Enfim, passei numa ótica (na Itália é possível trocar os olhos na ótica, alias a maioria dos italianos que eu conheço nunca foi num oculista) para ver se havia alterado o meu grau e a profissional me pediu para ir a um oftalmo, pois tinha algo errado na minha córnea, que ela nao conseguia identificar. Cheque Mate!

Dois dias depois meus olhos doíam demais e fui num oftalmo na urgência, quando fizeram a topografia e me disseram que eu tinha essa doença já bem avançada e que existe possibilidade que no futuro eu precise de um transplante de córneas. Bom recebi essa noticia de modo bem frio, sozinha e numa sala de consultório. A medica disse: "o que eu tenho para te dizer não é bom, você tem uma doença na corneá, evoluída e talvez precise de um transplante no futuro. Por favor sente-se la fora que um outro médico vai falar com você." Sai da sala, fechei os olhos e pensei que em pouco tempo meu mundo passaria a ser assim, escuro. Segurei minha tristeza e lagrimas em meio a todos os pacientes do consultório e quando falei com o segundo medico ele me disse "essa sua urgência existe a vida inteira, impossível que você não soubesse dessa doença. Eu não sabia! Chorei muito, me desesperei, pensei que fosse ficar cega, comecei a me informar e descobri que embora se trate de uma doença rara, existe muita tecnologia trata-la (não cura-la pois não existe cura). Se esse tratamento der certo provavelmente não precisarei chegar num transplante. A cirurgia sera uma das metas e expectativas de 2018, na fé que tudo dará certo.

Como tudo tem seu lado positivo, foi a partir dessa descoberta que comecei a fazer relaxamentos e meditação, pois a tensão e o stress pioram muito minha condição visual.

No trabalho nenhuma grande novidade, eu diria que profissionalmente estamos estáveis.

Todo o resto de 2017 foi incrível. Matteo super saudável, inteligente, menino incrível. Marcelo maridão e paizão.






Esse foi o ano da GRATIDAO


Nenhum comentário: