17/09/2017

Surpresinha chata numa quinta-feira de noite

Hoje estou meio chateada pois ontem de noite (14/09) tive uma surpresa bem chata.

Eu estava toda pimpante porque com a greve do transporte fui obrigada a sair meia hora mais cedo, o que significaria meia hora a mais com meus amores. Corri para casa toda contente e sorridente, até chegar no estacionamento para pegar o carro...SURPRISE! O lado do motorista estava destruído, a porta e a lateral estavam afundados e o ferro da porta rasgado. Por alguns segundos fiquei imóvel, sem acreditar como aquilo teria acontecido. 

Ao ver a fechadura rasgada, pensei que tivesse sido maldade, roubo ou algo do tipo. Embora para qualquer um que visse fosse obvio que não era roubo, eu não conseguia raciocinar. Sai sem saber o que pensar, meio transtornada, até que dirigindo vi dois pequenos bilhetinhos apoiados no vidro. Naquele dia tinha chovido demais, mas  por sorte os recados ainda estavam legíveis. Parei o carro e os peguei. 

Em um dizia "eu vi tudo, foi um caminhão grande que bateu na lateral.  Ja avisei a policia da cidade. Se quiser saber mais me ligue". 

O outro bilhete tinha uma placa de um carro da Polônia, o nome de uma empresa e o numero de uma pólice. Até ai não estávamos entendendo nada, ligamos então para o rapaz que havia nos deixado o telefone. Ele explicou que o caminhão foi fazer a curva e como era muito grande toda a parte de tras dele encostou no carro. O motorista não havia sequer visto o estrago que havia causado e continuou a andar. Esse rapaz foi atras dele e pediu para ele voltar e ver o que aconteceu. O caminhoneiro voltou e deixou aqueles dados, sem numero de telefone ou nome, mas que espero sejam suficientes para solicitar o reembolso ao seguro.

Aquele rapaz, então fez algumas fotos do caminhão e da placa, que me servirão para o seguro.

Ligamos na asseguradora que comunicou que o processo sera mais lento, por se tratar de um carro do exterior. Deve durar uns três meses, mas em teoria vai cobrir, assim espero.

A principio eu fiquei fora de mim,  não pelo valor material, mas porque tenho o maior cuidado com as minhas coisas, fruto de sacrifício, de trabalho, mas quando parei para pensar percebi que embora parecesse falta de sorte, o que tive foi o contrario.

O rapaz que viu tudo  disse que tudo aconteceu as 8 horas da manha, isso significa que se fosse 20 minutos antes, eu estaria saindo do carro e o caminhão me pegaria em cheio, provavelmente sem notar.

Alem disso, o estrago poderia ser bem maior e eu ficar sem carro por três meses, o que tornaria impossível gerenciar Matteo e trabalho. O carro para mim não é opcional, é necessidade, ainda mais agora com a chegada do frio. Por pouco não quebraram também os vidros.

Por fim, se não fosse o tal rapaz ir atras do caminhoneiro e fazer fotos, a gente teria um prejuízo absurdo, pois não teria nenhum dado do caminhão e nem as fotos que provassem o acidente.

Então, ao invés de azar, tive muita sorte e agradeço por isso.  Difícil não se chatear, mas eu reconheço que devo agradecer porque poderia ser pior.

Agora é correr atrás para arrumar o quanto antes.

Vamos que vamos!


06/09/2017

Final de semana na praia - Julho 2017

No inicio de Julho fomos pela primeira vez este ano para a praia.



Na quinta e sexta-feira participei de um congresso de licenciados da Disney em Rimini, uma praia conhecida não por seu mar, que não representa muito a beleza e a cor do mar da Itália, mas sim por oferecer uma ótima estrutura para familias com crianças.

Como eu iria a trabalho por dois dias, o Marcelo pediu um dia de folga na sexta-feira e viajou com o Matteo. Chegou na hora do almoço e dai foi somente curtir com os dois. 

Essa foi a primeira vez que dormi longe do Matteo e devo confessar que fiquei pensando em como seria por mais de mês. No final das contas o evento foi tao intenso que quando fui para a cama desmaiei. Logico que sempre que eu podia estava online com Marcelo para saber como estavam as coisas sem mim. Admiro muito as mães que viajam sempre a trabalho e  que conseguem separar bem esses momentos. 

Bom, voltando a nossa estadia na praia, acho que essa é a primeira vez que Matteo realmente curte a praia, sabendo o que é. Das outras vezes ele se divertiu, mas desta ele se "acabou" de tanto brincar. Chegavamos as 11hs na praia e ficavamos até as 21h30 quando tinha ficado escuro. 


Depois das aulas de natação que ele fez no inverno, perdeu totalmente o medo da água. Ele entrava no mar e sò voltava quando a água chegava no pescoço. 

Nós compramos uns infláveis para o mar e ele não largou nenhum momento. Teve uma hora que descuidamos por segundos e quando vimos ele tinha pego o colchão inflável, levado para o mar e já estava em cima, boiando, como quem diz "agora é hora do descanso"

Foi a primeira experiencia mais forte com ele na praia, um homenzinho mais independente.





As inesquecíveis férias 2017



Agosto foi um mês que passou tao rápido, mas que ficará marcado para sempre em nossos corações. Foi o mês em que recebemos minhas cunhadas e meu sobrinho Gabriel. Depois de nove anos morando na Itália, eles finalmente vieram nos ver.

Recebe-los não sò foi uma delicia, mas foi relaxante, pois conseguimos por alguns momentos nos desligar daquela rotina e responsabilidade que as vezes parece sufocar. Matteo se apaixonou por eles, a ponto de dizer para eu ir dormir com o Marcelo e deixá-lo com a tia, porque ele ia dormir com ela: "vai mamma, vai con papà... io fare nana titia". 


Quem conhece o Matteo sabe o quanto ele é inteligente e falador, mas não imagina o quanto ele poderia mudar em um mês. Em primeiro lugar, ele esta falando muito mais português do que antes. Além disso, compreende o que dizemos seja em italiano que em português. Durante esse tempo, ele que já era super simpático, passou a interagir ainda mais com todos, se demonstrou um bebezinho muito decidido e algumas vezes até radical. Lógico que um pouco é culpa das tias que o mimaram tanto, mas tudo bem, foi por uma boa causa. 


Mas voltando as férias, desta vez o destino foi a Puglia, no Sul da Itália, uma região linda, com praias maravilhosas, mas que este ano estava muito cheia. As praias mais famosas como Punta Prosciuto (considerada um dos paraísos da Itália), perdeu para mim um pouco de seu encanto pela quantidade de turistas, que alias sequer levava embora o lixo, deixava na praia.  

Como estávamos de carro, a cada dia íamos para praias diferentes, que geralmente ficavam a uma hora e meia da casa que havíamos alugado, mas que eram mais isoladas e muito mais bonitas. Acho que a gente vai ficando mais velho e quer lugares mais tranquilos. Este foi um verão em que fizemos muitas coisas sem nos cobrar  muito, sem estabelecer horários. Foi um Agosto de poucas regras, com exceção ao Matteo, logico.



Por um mês eu esqueci toda a rotina e me desliguei 100%  do trabalho, a ponto de ter que voltar em vários emails para lembrar onde eu havia parado. Esqueci tudo. Eu e Marcelo chegamos às férias no limite máximo da exaustão, do cansaço físico e mental. Pela primeira vez em muitos anos admito que não estava mais conseguindo superar o cansaço. Estas férias foram essenciais para enxergarmos alguns pontos onde estávamos errando e para estabelecer novas metas, junto às pessoas que amamos e principalmente, sem stress. 

Enfim, agora é trabalharmos para as proximas...