11/08/2022

Tempo e Maternidade

Olha eu aqui novamente! Juro que procuro reservar um tempo para voltar com frequencia, aliàs sinto falta, mas o bebe e o Matteo exigem atençao redobrada, o que faz com que o tempo fique ainda mais curto. Digamos que estou atrasada em tudo, inclusive nas coisas que eu sempre gostei de fazer. 

Hoje em dia, tenho diariamente umas duas horas e meia no total (o tempo que o Federico dorme) para fazer alguma atividade, que pode ser uma pedalada ou organizar algo em casa. Preciso sempre escolher minha prioridade (se pedalar, se organizar a casa, se cozinhar, se ler, se escrever, se fazer yoga, etc). E' sempre uma unica escolha, ja que o Federico dorme pouco. Faz meses que estou ensaiando para atualizar o blog, para dar continuidade em minhas leituras, para voltar para a meditaçao que tanto me faz bem, mas nao tenho conseguido. Faz dias que estou tentando ir no cabeleireiro, fazer uma caminhada, enfim faz dias...

Ter filhos é maravilhoso e nao coloco isto em questao, mas se voce nao tem ninguem que possa dar uma mao e ficar com eles de vez em quando, voce acaba sentindo que deixou de existir. Tudo gira em torno deles, do momento em que acordamos ao momento que vamos para a cama. Agora mesmo aproveitei que os dois estao dormindo para escrever (esta foi a minha escolha de hoje) e cada vez que o Federico se mexe, acho que meu tempo chegou ao fim. E' meio tenso fazer qualquer atividade desta maneira. 

Nao entenda esses comentàrios como uma reclamaçao, mas como o desabafo sobre a rotina e realidade de muitas maes que cuidam dos filhos full-time. Como algumas pessoas sabem, desta vez, por razoes particulares, resolvi unir minhas férias à minha licença maternidade, o que me da mais tempo para acompanhar as crianças de perto. Considerando que Matteo esta de férias desde Junho, eu diria que esses ultimos meses tem sido bem intensos. Intensos e ràpidos! Hoje falta tempo, mas tento lembrar que o Matteo ja tem sete anos e o Federico completarà 1 ano no mes que vem, entao sei que sao momentos unicos e todos esses sentimentos conflitantes mais cedo ou mais tarde passarao. Chego a pensar que em uma casa com crianças, o caos passa a fazer parte da familia. Sò que as criancas crescem ràpido demais, por isso precisamos decidir se colocar o foco nas dificuldades ou no prazer de transformar essas miniaturas de gente em grandes seres humanos. 

O mais engracado em tudo isso, é que ao mesmo tempo em que sinto a exaustao fisica, a falta de mim comigo mesma, que tento fazer de tudo para a nossa familia ficar bem, que tenho a certeza de dar o meu màximo, me sinto inumeras vezes preenchida com um enorme sentimento de culpa por achar que nao sou suficientemente boa, por perder a paciencia com as malcriaçoes e desobediencias do Matteo (que esta numa fase complicada). Pois é, ainda que eu acredite estar dando o melhor de mim, em diversas ocasioes sou invadida por esse sentimento de culpa por sentir falta de mim como pessoa, de ter meu tempo para estudar, produzir e pensar sem interrupçoes. E por falar em interrupçoes, ja tive que fazer duas longas pausas enquanto escrevia este texto: a primeira porque o bonitinho acordou e fez um desastroso cocô e a segunda porque em um minuto de distracao, enquanto eu escrevia, ele caiu de cabeça de um degrau de uma escada que fica ao meu lado :(


Entao, cada vez que eu tenho que recomeçar o texto, preciso retomar meu raciocionio, deixo passar toda uma lògica de pensamentos e me perco no que eu queria escrever, razao pela qual muitas vezes opto por nem comecar. 

Sabe, muita gente, incluindo o Marcelo, vai dizer "voce nao tem que se sentir assim, voce é uma otima mae e esposa e bla bla bla", no entanto nao é tao fàcil encontrar o ponto de equilibrio, se é que ele realmente existe. A maternidade é uma grande jòia que vem acompanhada também de sentimentos contraditòrios sobre voce como pessoa. E tudo no final é questao de tempo, porque passa e ràpido demais. Em poucos anos ficarà somente uma imensa saudade de um momento que parecia muito caòtico, mas que provavelmente terà sido o momento mais feliz de nossas vidas.